A ABOMINAÇÃO DA DESOLAÇÃO NO LUGAR SANTO

"Quem lê, atenda"
        
Ao fazer referência à abominação da desolação de que falou Daniel estabelecida no lugar santo, o Senhor deixou também esta advertência: "Quem lê, atenda". Isto é: "quem lê faça atenção ou entenda". Porque? Porque a abominação posta no lugar santo conduz à ruína ou para a desolação, o que significa na ira e vingança divina contra o povo que se sujeita nesta abominação. Para evitar toda a confusão na interpretação da profecia bíblica, o leitor tem que fazer aqui uma delimitação nítida entre as duas dispensações: a que foi feita à Israel primeiro, e depois a que foi concedida às nações pela Igreja.   
Na aliança de Israel, Jerusalém representa a cidade santa, e seu templo o lugar santo por excelência. Ora bem, a presença desta abominação neste lugar santo é um sinal precursor da desolação que ia se abater sobre o povo de Daniel. Porém, de acordo com a escritura, os dias de vingança e da ira divina contra o povo de Daniel (os judeus) que trazem a grande angústia sobre este país começam com a destruição de Jerusalém e do seu templo. E, sempre de acordo com o que é escrito estas devastações continuaram até o termo da guerra. Eis o que quer dizer: "e até ao fim haverá guerra; estão determinadas assolações". Como nós já explicamos aqui. Mas agora, na profecia de Jesus Cristo, esta mesma "abominação da desolação" nos é apresentada como sendo precursor de uma GRANDE TRIBULAÇÃO que iria se abater sobre toda a terra, e que imediatamente depois destes dias de angústia (a grande tribulação então), virá o grande e terrível "Dia do Senhor " que é um dia de vingança (So.1:7;18, Jo.2:1,2, Mat.24:29, etc.). O que isso então?
Examinem as escritas e vereis que, com respeito à Israel, depois daquele tempo ("no termo da guerra", pois), o Grande Propósito de Deus não assinala mais um outro dia de ira ou vingança contra os judeus (o povo de Daniel). Mas sim, fala-se de uma reintegração de Israel que vai do estabelecimento em Judeia até a restauração da sua glória. Nós temos a confirmação disto nas profecias de Ezequiel, nos capítulos 34, 36 e 37 (ler com atenção "a visão de ossos secos"), e Romanos 11. De quem se vingará então Deus, no Seu dia grande e terrível? Das nações que terão pisado Jerusalém, a cidade santa, aos pés! Aqui está a Verdade! Disto testemunha a profecia de Ezequiel 35. Este profeta viu: primeiro Israel regressando na Judeia no capítulo 34; depois a ira divina que cai sobre as nações que pisaram Israel aos pés, no capítulo 35; e finalmente nos capítulos à seguir, ele fala da restauração da glória de Israel. Porque? Simplesmente porque comparando as duas alianças, o Dia do Senhor se coloca entre o regresso de Israel no seu país que confirma o fim dos tempos dos gentios, e a reintegração de Israel na justiça eterna e na aliança, pela eleição de Deus (Daniel 12:1-3).
Não se esquecem pois disso: Israel, tal como uma parte da igreja das nações e a terra inteira passarão pela grande tribulação. Mas com respeito à ira e a vingança divina: há um tempo de desolação e angústia para Israel e um outro para as nações. Separadamente, não simultaneamente. Mas, nos dois casos o Senhor revela à Seus discípulos o sinal anunciador ou precursor que lhes permitirá discernir a aproximação destas coisas: é necessário que primeiro a abominação da desolação seja posta em lugar santo. Eis a razão pela qual Ele adverte: "Quem lê, atenda"
Não recebi, eu também, um ministério de justiça ao serviço desta Igreja das nações? Pelo que, o Senhor me dê a compreensão destas coisas que foram fechadas e seladas até este tempo do fim em que vivemos, de forma que muitos possam ler e entender a visão, e que de acordo com o que está escrito, o conhecimento aumenta (Dan.12:4). Agora, para que o verdadeiro conhecimento (porque existe também um falso) aumenta, é necessário que sejamos ensinados do próprio Deus; não das interpretações particulares de homens privados de entendimento. E, como pode Deus ensinar a Sua Igreja? Senão pelo intermédio de um dom feito ao homem, como doutor ou ensinador (glorifico também meu ministério) confirmado pela palavra profética. Bem-aventurados são os que têm olhos para ver e ouvidos para ouvir o que o Espírito diz às igrejas!   
Tocando a desolação que virá de acordo com Apoc.12:17 sobre as nações e seus habitantes nos dias à seguir o arrebatamento da Igreja-Esposa, aprendi do Senhor o seguinte:   
A acção de Satanás contra a igreja de Cristo, chamada dentre as nações, para o instituição do sistema ou organização que conduz ao reinado do Anti-cristo, começa pela perseguição dos discípulos da primeira hora, herdeiros e possuidores da Verdade primitiva. É só depois do aniquilamento destes vasos de honra, instrumentos da Sua santidade, agindo sob a inspiração do Espírito Santo, que os obreiros enganadores tentam então introduzir pela mentira, uma falsa mensagem que nos conduzirá à um falso Cristo.   
Toda terra estará daqui em diante sujeita à vaidade e cairá na servidão da corrupção. É assim que toda a criação começa à suspirar e à gemer com as dores de parto: guerras e rumores de guerras, insurreições entre as nações e os seus reinos, terramotos, inundações, fomes e pestes em vários lugares, etc. de acordo com o que está escrito (Rom.8:19-22).    
Ora bem, UM SÓ pode libertar a criação da servidão da corrupção e das dores: o Senhor Jesus Cristo no dia da Sua vinda. Pelo que, a acção do espírito anticristo visa a multiplicação da iniquidade para desviar as atenções da vinda de Jesus, o Verdadeiro Príncipe da paz e a Vida eterna. Aquele mesmo que o Anti-cristo tenta usurpar o poder, a autoridade e o lugar. Este Anti-Cristo que está para vir é o homem do pecado da profecia: o Ímpio ou o adversário (do Cristo, pois) "que se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus!" (2Tes.2:3,4).    
Não está escrito que este filho da perdição só será manifestado "a seu próprio tempo" ? Porém, o mistério da iniquidade já opera no mundo e seduz todos os habitantes da terra. A igreja também é seduzida e corrompida de entendimento sobre o Grande Conselho de Deus que consiste em reunir todas as coisas em Cristo (como nos ensina a epístola aos efésios nos três primeiros capítulos); e não em quem quer que seja. Pois, não há salvação em nenhum outro nome.
Você entende agora o que significa estas coisas? A blasfémia deste Ímpio "que se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus"; é isso que a profecia de Daniel, recordada pelo Senhor Jesus, considera como a "abominação da desolação posta em lugar santo" (Mat.24:15); isto é: "estar onde não deve estar" (Mc.13:14).  
 O que é a "abominação"? Senão a idolatria. Melhor, a adoração de tudo o que não é Deus, porém não digno ser adorado. E o que é então esta abominação que conduz as nações pagãs à desolação? Senão a adoração do Anti-cristo. Essa sim conduz à grande tribulação e se completará no grande dia da vingança do Senhor. Este tempo da angústia sem igual. Entenderam essa parte?   
Agora olhe de perto para esta coisa: a profecia não fala da abominação da desolação "posta no lugar santo" ou "onde não deve ser"? Para melhor entender esta profecia na sua realização, nós temos que considerar uma vez mais as duas alianças de Deus: Israel e a Igreja. No primeiro caso, Israel (o povo de Daniel) teve seu lugar santo: Jerusalém e seu templo. É ali onde habitava o Deus de Israel na antiga aliança. Na segunda aliança porém, Deus trata com as nações, como nós já sublinhamos isto várias vezes aqui. E, o lugar santo para os gentios ou as nações onde Deus escolheu fazer residir o Seu Nome é a Igreja do Cristo. Amem!
Aqui, e uma vez mais Ecl.1:9-11 e 3:15 restabelecem a Verdade da Palavra profética na sua realização ou cumprimento (o que alguns comentaristas da Bíblia qualificaram da "lei da referência dupla"). Sim, não tem aqui também nada de novo nesta profecia que nós consideramos hoje nesta pregação. Porque, aqui Deus também recambia as mesmas coisas.
Entendamos isto então: no fim da primeira aliança, Jerusalém é investida pelos exércitos romanos ("o povo de um chefe que há de vir", de acordo com a profecia de Daniel). Pois o que? O Senhor advertiu os discípulos neste sentido: "quando virdes Jerusalém cercada…, sabeis então que é chegada a sua desolação". Foi o que aconteceu. A desolação caiu sobre Jerusalém, porque estes eram os dias de vingança em cumprimento de tudo o que estava escrito à propósito. Dias de vingança contra Israel. Porque? Por eles ter rejeitado o Senhor e Deus deles. Você vê isto? O Rei dos judeus foi rejeitado na Sua própria cidade! Não está escrito que Jerusalém é a cidade do Rei Grande? Os judeus O rejeitaram e escolheram um vigário no Seu lugar: "Não temos rei, senão o César!" (Jo.19:14,15). Portanto, Ele, Jesus, era o Siló a quem pertencia o ceptro e o legislador (Gen.49:10). À Ele pois deviam se submeter os povos, não à César; nem à nenhum outro. Não perca isto: César é um tipo do Anti-cristo, o VICARIVS FILII DEI, manifestado no fim da primeira aliança. E, foi o povo deste mesmo rei que seduziu os judeus, que trouxe a desolação sobre Israel. Ele fez cair o sangue do Justo sobre as próprias cabeças deles, como eles mesmo o pediram no dia em que os sentidos deles foram endurecidos. 
Eu li em algum lugar – eu não me lembro mais onde, nem quando – que um imperador romano fez imolar naqueles dias um porco no templo de Jerusalém. O que representa uma abominação tendo em conta que o porco em Israel foi considerado como um animal impuro. Eu também acredito nisto, mas em parte só. Você sabe porque? Aqui, está em causa o desenrolamento de um plano pré-estabelecido na sua realização ou cumprimento. Ora bem, na presciência de Deus, para esses dias – e, foi isso que os judeus ignoravam – a aliança anterior já tinha envelhecida, porém acabada. Tendo sido substituída pelo um novo concerto, e neste porém, o que foi até então considerado como impuro pela lei já não o era mais aos olhos de Deus (compare Lev.11:6; Deut.14:8 com At.10:9-15).
Conseguem entender isto? Então, se o facto de imolar um porco como sacrifício no templo foi indiscutivelmente uma ABOMINAÇÃO, porém não é isto que deve ser encarado como a ABOMINAÇÃO DA DESOLAÇÃO. Guardai-vos das interpretações particulares da profecia. Olhem de perto para a aliança de Deus… ela está consumada com pela aspersão do sangue do cordeiro, pois não? Ora, na aliança perfeita de Deus que se cumpria naqueles dias em Israel em substituição da primeira – o que o endurecimento impedia Israel de reconhecer ou entender por causa do véu que permanecia sobre as primeiras coisas – Jesus Cristo é o cordeiro imolado, perfeito e sem mancha, para a redenção de todos esses que tiveram os nomes deles registrados no Livro de vida, desde a fundação do mundo.    
Aqui está então a abominação que trouxe a desolação sobre Israel: A REJEIÇÃO DO CRISTO, e não o porco imolado no templo. Porque, muito embora isso tivesse acontecido, é de suma importância lembrar-nos que só aconteceu quando a desolação já tinha começado. As devastações que deixaram assolada a casa de Israel são as consequências nítidas da rejeição do Cristo (Sal.69:9-26; Is.1:2-8; Mat.23:37,38, etc.): o Grande Rei ou o Leão da tribo de Judá, mas também o Cordeiro imolado (ver Apoc.5) … desde a fundação do mundo. Está aqui O SACRIFÍCIO PERPÉTUO do qual temos a representação na Páscoa antiga e que liberta o povo de Deus da servidão. Ora, rejeitando o Filho do homem e escolhendo César em Seu lugar, OS JUDEUS COMETERAM ENTÃO UMA GRANDE ABOMINAÇÃO. E, quando este "falso rei dos judeus " estabeleceu sua dominação espiritual em Israel... foi então que interrompeu o sacrifício perpétuo em Israel. Por que motivo falo aqui de uma dominação espiritual? Seja inteligente e entenda a Palavra. São os chefes religiosos dos judeus que entregaram Jesus aos romanos. E, apesar da insistência de Pilatos que tentou lhes convencer de aceitar a liberação do "Rei dos judeus", esses definitivamente rejeitaram a proposta. Assim, ficou patente que foi o Israel espiritual que se sujeitou ao reinado de Roma. Que aquele que lê faça atenção à estas coisas!   
Você entende agora o que acontecerá no fim dos tempos dos gentios? Rigorosamente a mesma coisa: não só as autoridades políticas das nações submetem-se à organização do Anti-cristo; mas também as autoridades religiosas das nações. No fim dos tempos, os chefes religiosos das nações rejeitam por sua vez a autoridade do Cristo e adoram um imperador romano elevado no Seu lugar. Este usurpador é o Anti-Cristo que há de vir. Não se tratará mais desta vez de um "César político", mas sim de um "César religioso" cujo o império é a organização universal que representa a falsa igreja cuja sede é a grande cidade que reina sobre os reis da terra (Apoc.17:18). Está aqui a Verdade! E, todos os que terão sido seduzidos pela acção do espírito anticristo que já opera nas igrejas neste dia do fim o adorarão. Esses cujos nomes não estão inscritos no livro de vida do Cordeiro; no céu. Eles recebem assim a marca da besta e adoram segundo o modelo da sua organização, num sistema ou culto completamente anti-palavra, fruto de uma falsa interpretação da Palavra de Deus; privada da graça (pois, fundamentado nos sacrifícios, trabalhos e mandamentos humanos) e da Verdade (substituída pelas falsas mensagens).
É nisto que se reconhece a organização anticristo que seduziu toda terra e seus habitantes: apesar deste sistema de cultos se esconder debaixo de uma aparência da piedade atrás da qual opera o mistério da iniquidade, a organização anticristo é porém visível em todos estes movimentos religiosos onde a adoração de Cristo é substituída pelo culto venerando o homem. Aí… onde os cultos de personalidades escravizam as almas mal firmadas, e onde a Verdadeira Palavra de Deus é substituída por mentiras, fábulas e genealogias sem fim envolvendo "figuras" de servos; frutos de interpretações particulares que fazem o pano de fundo das falsas mensagens do Evangelho. Fala-se do "Evangelho de Cristo" como sendo A BOA NOVA DA REDENÇÃO PARA A SALVAÇÃO DE TODOS ESSES QUE CRÊEM NESTE NOME SEM IGUAL. Agora, quando um evangelho se centraliza na veneração de uma pessoa, já não se trata do Evangelho de Jesus Cristo, mas sim de um outro evangelho que apresenta um outro Jesus, e junta todos esses que receberam um outro espírito (2Cor.11:4). E, de acordo com a Palavra de Deus, essa coisa (aparentemente inofensiva) que você suporta assim por falta de conhecimentoé justamente aqui onde opera o "anátema" (Gal.1:8,9). Eis aqui a abominação que traz a condenação e a maldição sobre as nações. E vós, homens sem inteligência e enfeitiçados pelo engano, como eu tanto gostaria que Deus vos ajuda à entender as coisas que vos são reveladas hoje nesta pregação! Que Deus tenha misericórdia dos Seus!   
A característica essencial de um Judaísmo corrupto que se apoiava em Moisés e sei lá quem mais… e não em Cristo que é o Espírito da profecia e o tema central do testemunho de todos os profetas foi a rejeição da verdadeira Palavra de Deus, ora invalidada pelos mandamentos de homens baseados nas suas tradições religiosas. E, essa coisa levou os judeus e seus príncipes religiosos na rejeição do Cristo e na adoração de César.
Hoje, de igual modo, a rejeição da Verdadeira Palavra de Deus e sua substituição pelas tradições católicas ou protestantes, baptistas ou pentecostais, como também nos diversos movimentos das denominações Cristãs, caracterizadas pelos "ismo" gerados pelas interpretações particulares das profecias das escrituras, levará também os gentios e as religiões deles à rejeição do Cristo na última geração; e à adoração do novo "César" manifestado novamente no fim dos tempos das nações, e de quem o império detém a realeza sobre os reis da terra. Segundo o que está escrito: "Mas primeiro convém que ele padeça muito, e seja reprovado por esta geração" (Lc.17:25). À bom entendedor salvação! Não foram os exércitos de César, o imperador romano que trouxeram a desolação sobre o povo de Daniel? As devastações, continuaram porém até ao termo de SEGUNDA GUERRA MUNDIAL, como esta coisa me foi revelada pelo Senhor neste tempo do fim. Porém, todo mundo sabe que o holocausto dos judeus foi causado pelos exércitos alemães. Mas, o que todo mundo não sabe, é que estes exércitos que usavam a singular cruz nazista (um símbolo usado no satanismo) teve a bênção e a influencia invisível da igreja de Roma. Satanás está nesse caso por detrás disso! Porque, de acordo com a profecia, é o dragão que dá o seu poder à besta. Esta coisa fez de Hitler e dos seus exércitos alemães nas suas cruzadas contra os judeus, os instrumentos do império romano para a realização das intenções de Satanás contra o povo de Deus em confirmação da visão de Daniel. E, a má interpretação nos apresentou Hitler como sendo, ele, o Anti-Cristo que havia de vir. Não! Ele era apenas o braço, a face visível do pecado oculto e que continua ainda à se esconder hoje em dia numa aparência da santidade; isto é da religião. Sim, Hitler foi na verdade escravo de algo mais forte que ele, e que lhe constrangia no ódio dos judeus. Diz-se que vivo, ele tomava cerca de oitenta soníferos por dia; se bem que no fim, o mesmo remorso que triunfou de Judas Iscariotes o levou à escolher o mesmo fim. Pelo que repito: guardai-vos das interpretações particulares da palavra profética!   
A Alemanha é provavelmente o país mais industrializado (o "ferro" da estátua do livro de Daniel) da União Europeia, e deste facto inevitável na aliança que representa o último império romano que, ainda não é manifestado nesta época da guerra. Porque? Pois a besta "era", "e já não é". Porquanto, ela estará ainda à recuperar da sua "chaga mortal" (Apoc.13). Mas, no fim dos tempos, ELA HÁ DE SUBIR DE NOVO DO ABISMO. A chaga mortal é pois curada ao término desta guerra. Em 1950, o tratado de Roma ressuscita o império romano. Porém, a Alemanha está dividida e fraca. Ela deve, pois, ser reconstruída e unificada. Ela está no coração do império romano, pois não? Agora, quem ignora a grande influência do papado na unificação de Alemanha, como também na queda da cortina de ferro que reunifica a Europa até então dividida? Aqui está a sabedoria que tem inteligência! A Besta sobe assim do abismo, o mundo está cheio de admiração diante disto. Mas tu, eleito de Deus, não se deixa seduzir! Porque aquela besta só tem que permanecer um pouco de tempo, porque ELA VAI PARA A PERDIÇÃO. Amem!  
Assim como os exércitos de César, o rei que seduziu o povo de Daniel que lhe preferiu no lugar do Cristo, trouxeram a desolação sobre os judeus; assim será no fim dos tempos, quando este novo "César", que seduz hoje a terra e seus habitantes pelas suas abominações e encantos, conduzirá estas mesmas nações à abominação da desolação. Então virá o dia do Senhor! Dia de vingança contra todos esses que terão recebido a marca da besta e o adorarão. Assim se cumprirão todas as coisas que estão ocultadas debaixo do sexto selo. Que o inteligente compreende!