A ALIANÇA DE UMA SEMANA

A profecia de Apocalipse 17 desvendada em minha pregação escrita intitulada: "O Mistério da iniquidade", nos revela que este Homem do pecado, o Ímpio, o Filho da perdição ou o Anti-Cristo, ainda chamado o ASSOLADOR é "um oitavo rei". Sendo porém "um dos sete". Pelo que, a sétima cabeça da besta que governa hoje Roma sendo o papado na sua forma actual, deixará então o seu lugar na última ou a septuagésima semana da profecia de Daniel, para o Anti-Cristo que à seu próprio tempo será manifestado. Este é o oitavo rei romano. Aquele mesmo que nós apresentamos aqui como sendo o último "César" que se levanta para dominar o mundo inteiro, e que é "religioso". É à ele que toda terra dá, não somente as glórias do mundo que pertence à Satanás, mas também a que pertence a Deus, só. Isso é, a adoração. Em contradição flagrante com o ensino de Jesus (Mat.22:21b).   
É pois à ele que Satanás dá e submete os reinos do mundo e essas glórias que o Senhor Jesus Cristo tinha recusado no dia da tentação (Mat.4:8;10); segundo o que está escrito na profecia: "o dragão vermelho deu a autoridade à besta" (Apoc.13:4). Adorando assim a besta, a terra seduzida adorará o próprio Satanás, o mal incarnado; o diabo em pessoa, manifestado em toda sua plenitude. Entendeis agora? É pois deste "imperador romano" que domina sobre a União Europeia que fala a profecia de Daniel que faz referencia à: "o povo do príncipe, que há de vir". Eu espero muito sinceramente que compreenderam a profecia.   
Ao fim das sessentas e duas semanas, Jerusalém é destruída e as assolações determinadas na profecia continuam, e no fim haverá guerra, comandada pela sétima cabeça. A história universal confirma isso. As cruzadas contra Jerusalém e os judeus foram dirigidos pela Roma religiosa. E a Besta que era e já não é (e que representa o império romano), volta novamente. Porque, ela tinha desaparecido na brecha que separa o fim da sexagésima nona semana, da septuagésima e última semana. Por causa do poder do Espírito Santo que age na dispensação feita à Igreja das nações. Não é isso que resiste contra o mistério da iniquidade de forma que o Ímpio só aparece à seu tempo? (2Tes.2:6-8). A Igreja-esposa sendo arrebatada no fim desta dispensação, já não há mais nada que possa deter a manifestação do Anti-Cristo. Então, a besta que era e já não é, aparece novamente. Este príncipe é um oitavo rei que emerge da sétima cabeça, e que vai para a perdição. Sendo ele, o Filho da perdição. Aí está… acabaram de receber a revelação do homem do pecado!       
Ele reaparece na última (septuagésima) semana e faz uma forte aliança com muitos. (Veja como Dan.9:27 é confirmado em Apoc.17:12-14). Os reis mais poderosos e influentes da terra lhe confiam o poder deles e autoridade durante uma hora na intenção comum de combater contra o Cordeiro. Estão à ver isso? Ele faz então cessar a adoração dedicado à Deus, proclamando-se ele mesmo Deus. O sacrifício perpétuo é interrompido. Toda a terra se desvia completamente de Cristo e adora o Seu "vigário" (isso significa: o que toma o Seu lugar ou o Seu substituto). A falsa aliança de paz que ele faz com o mundo na primeira metade da semana, engana todo o mundo, até Israel. Eis agora a sua organização, a grande prostituta, assentada sobre as águas. Aqui está a dominação assente sobre muitos povos, multidões, nações e línguas; como também o seu reino patente sobre os reis da terra (Apoc.17:15,18).   
São estas alianças humanas que Daniel viu e interpretou na visão da estátua de Nabucodonosor, na qual o último reino: a União Europeia de onde se levantará o Anti-Cristo é representada pelos pés em uma mistura de ferro e de barro (Dan.2:41-43).   
Alianças políticas por um lado. Claramente manifestadas pela "globalização" e outras "regionalizações" aprovadas por um grupo de estados e rejeitadas por outros. Porque, estas alianças favorecem os países mais industrializado o "ferro" e debilitam cada vez mais e condena à dependência as nações subdesenvolvidas. E, foi dito à Daniel: "Quanto ao que viste de ferro misturado com barro de lodo, misturar-se-ão com semente humana, mas não se ligarão um ao outro, assim como o ferro se não mistura com o barro" (Dan.2:43).
Alianças religiosas também. Feitas em nome da "UNIDADE DA IGREJA" e manifestadas nas tendências, movimentos ecuménicos que nascem quase em todos lugares, no meio de nós. Acautelai-vos de tais organizações! Porque, tal como o ferro não se mistura com o barro, assim também não pode haver sociedade entre a justiça e a iniquidade; nem comunhão entre luz e trevas; nem parte entre o crente e o descrente. Mas, nestas alianças características dos movimentos de carácter ecuménico para, não se trata nunca da comunhão de cristãos operada pelo Espírito Santo; mas sim de "alianças humanas". Entenda a profecia e retenha bem essa coisa! Os servos e as igrejas se juntam em "federações", sociedades ou associações e edificam torres de Babel onde a confusão domina em mestre. Afastai-vos de tal sujeira! "Sai do meio deles, povo Meu". É: "assim diz o Senhor"!  
E, a Palavra de Deus me foi assim dirigida: "Eis que toda carne corrompeu o seu caminho na terra". O espírito anticristo promovedor e catalisador destas alianças humanas, junta tudo e todos neste sistema de organização: a nova ordem político-religiosa mundial que, a seu próprio tempo, consagrará o poder e a autoridade da Besta, cujo vinho da prostituição já intoxicou os habitantes da terra e os reis deles. Eis que vem aí! A Besta. Ela perpetrará as coisas mais abomináveis na segunda metade da septuagésima semana, antes de ir para a perdição. Porque, assim como a mentira nunca pode triunfar da Verdade (nem por força, nem pela astúcia), também o Anti-Cristo e sua Organização nunca derrotarão o Cordeiro que é o Senhor dos senhores e Rei dos reis. Apoc.17:14 é a confirmação de Dan.2:44,45. E, à Daniel foi confiado estas palavras: "sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador" (Dan.9:27). Eis que o espírito da profecia não se contradiz! O que o anjo Gabriel revelou a Daniel aqui será confirmado pelo anjo do Deus que falou com João à Patmos (Apoc.17:16,17). Pois que? Ao fim da septuagésima semana, a forte aliança será desfeita, e esses mesmo que, até então, foram considerados como aliados do Anti-Cristo (o assolador), se levantarão e desmantelarão a sua organização, para executar o intento de Deus contra a besta. Quando as palavras de Deus se teriam realizadas. Que o inteligente compreende estas coisas e que o sábio as guarde! Bem-aventurado pois, o homem que tem ouvidos para ouvir o que o Espírito diz às igrejas!