O DISCERNIMENTO DA HORA EM QUE VIVEMOS

 

Temos aqui uma lição sobre a GRANDE APOSTASIA feita em figura. Examine o tempo em que opera a sedução e compreendereis a sabedoria misteriosa de Deus:
V.9: “no crepúsculo, à tarde do dia, à noite fechada e na escuridão”.
Lembrai-vos que já chegamos no fim dos séculos. Lá se vai consumando o tempo da graça. É o tempo para os eleitos se preparar e voltar para a casa, pois a peregrinação sobre a terra vai acabando. Ora, fomos avisados em 2Tes.1-3 no que diz respeito a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com Ele de que, isto não sucederá sem que venha primeiro a apostasia.
Eis, pois o mancebo preparado para voltar para a casa, quando uma mulher lhe saiu ao encontro, embelezada à moda das prostitutas, e astuta de coração. Quando? No crepúsculo, à tarde do dia. Pois que? A noite vai se aproximando e com ela, a escuridão. É o triunfo do mal na Igreja; o tempo do poder das trevas. Uma grande apostasia se instala na terra, orquestrada pela grande meretriz “a mulher alheia”: V.11-12: “Ela é turbulenta e obstinada; não param em casa os seus pés; ora está ela pelas ruas, ora pelas praças, espreitando por todos os cantos”.
No tempo da tarde, ao anoitecer, a luz da Verdade vai se apagando. A Verdade tropeça publicamente! A doutrina de Deus é suplantada pela doutrina persuasiva da mulher adúlteraque corrompe e “faz ceder e arrasta (multidões na prostituição espiritual e idolatria), com a multidão das suas palavras sedutoras, com as lisonjas dos seus lábios”.
Lembrai-vos que é neste mesmo tempo da tarde que as virgens saem para ir ao encontro do Esposo. Mas, nem todas elas são prudentes… Algumas são loucas… loucas o suficiente para desprezar o azeite (“O Espírito que fala no nosso meio”). Ora, o Pai bem aconselhou: “Dize à sabedoria: Tu és minha irmã; e chama ao entendimento teu amigo íntimo, para te guardarem da mulher alheia, da adúltera, que lisonjeia com as suas palavras”.
Pois que? Depois do crepúsculo, da tarde… veio a noite profunda e a escuridão. A luz da Verdade se apagou! Não havendo profecia, as igrejas se corromperam. Não falo aqui das profecias escritas; mas sim, do Espírito da profecia que fala, ainda hoje, no nosso meio por intermédio desses homens inspirados por Deus e que falam da Sua parte.
Lembrai-vos do eunuco etíope regressando de Jerusalém! Ele estava lendo a profecia de Isaías. E, este era um verdadeiro profeta! Disto, ninguém tem a menor dúvida. Mas será que ele entendia ele o que estava escrito? Como poderei entender, se alguém não me ensinar?”. Pois, a letra mata, o Espírito é quem vivifica!
“Dai-nos do vosso azeite”… As virgens loucas receberam a mensagem da revelação da vinda do Esposo. Isto foi no tempo da tarde! Mas, saindo elas, desprezaram o azeite (O Espírito que vivifica a Palavra). Hoje, essas pessoas podem estar diante da pregação de um verdadeiro profeta mas, jamais poderão compreender o que diz o Espírito da profecia que falava no tal profeta.
A grande pergunta permanece: de quem diz isto o profeta? de si mesmo, ou de algum outro? . Esses servos de Deus em que as igrejas se gloriem hoje, falavam de si mesmo nas suas pregações ou davam testemunho de um outro? Todos aqueles que são prudentes sabem que Jesus Cristo é o Espírito de toda profecia. Os loucos suscitam questões loucas e insensatas. Seduzidos pelas doutrinas das mulheres estranhas, eles se livram também na prostituição espiritual ao rejeitar o Único Esposo.
Pouco importa o “ismo” ao qual um indivíduo se identifica. Se esse fulano vier até à mim e dizer: “Nosso pastor, profeta… é um verdadeiro enviado de Deus”, digo: “Amem!”. Mas, quando ele quer me persuadir de que seu pastor é o caminho único que conduz à Deus e que, crer nele é o único meio de alcançar a salvação… Digo: “Não remove o limite antigo deixado pelos pais”.
Não existe um outro fundamento para a Salvação! Toda igreja que permanece neste fundamento único é do Cristo (pouco importa o nome que identifica esta congregação na terra). Toda igreja edificada fora deste fundamento é uma “mulher alheia”. Sua doutrina leva à morte.
Depois do crepúsculo, veio a noite avançada e… com ela a escuridão e as trevas. As virgens tosquenejam e adormecem todas. A apostasia generaliza-se.
Todavia, para os eleitos, já é tempo de despertar do sono! A salvação está próxima! Rom.13:11-14
“E isso fazei, conhecendo o tempo, que já é hora de despertardes do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando nos tornamos crentes. A noite é passada, e o dia é chegado; dispamo-nos, pois, das obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz. Andemos honestamente, como de dia: não em glutonarias e bebedeiras, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e inveja. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo; e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências”.

Pelo que, para os eleitos ouviu-se um clamor no meio da noite: “Ai vem o Esposo. Sai-Lhe ao encontro”. Pois que? As prudentes vencem a escuridão com o auxílio do azeite que vem vivificar a luz das lâmpadas (Sal.119:105)
“Dize à sabedoria: Tu és minha irmã; e chama ao entendimento teu amigo íntimo para te guardarem da mulher alheia…”.
Bem-aventurado o homem à quem Deus deu o entendimento dessas coisas.

------------------------------------------------------