A DIVINDADE DO CRISTO :

UM MISTÉRIO REVELADO SÓ NO ÚLTIMO TEMPO ?

            Hoje temos pessoas que interpretam a escritura de Apoc.10:7 como sendo: “a revelação do mistério da divindade do Cristo” pelo anjo-mensageiro da Igreja de Laodicéia.
            Ora vejamos, relativo ao LOGOS… se alguém insinuar que é somente na última era que a divindade do Cristo foi revelada na Igreja, estaria a mentir contra a Verdade. Pois, podemos ler isto no testemunho do apóstolo Paulo: “o qual (Jesus) é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação” (Col.1:15); ou ainda: “ nestes últimos dias a nós nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por quem fez também o mundo;sendo ele o resplendor da sua glória e a expressa imagem do seu Ser…” (Heb.1:2,3).
Isto confirma a Verdade ensinada pelo apóstolo João sobre O LOGOS, no qual se revela o mistério da divindade do Cristo :“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.Ele estava no princípio com Deus.Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez.” (Jo.1:1-3); ou ainda: “O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que contemplamos e as nossas mãos apalparam, a respeito do Verbo da vida(pois a vida foi manifestada, e nós a temos visto, e dela testificamos, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e a nós foi manifestada(1Jo.1:1,2)
Ora, antes disso, quem lê com atenção a escritura de Jo.3:28-36, entende que João Baptista testemunhou da divindade do Cristo, O Filho vindo do Pai, Herdeiro de todas as coisas e que está acima de todos os outros servos ou testemunhas da Palavra. Ele é Aquele que vem de cima ou do céu; e eles, aqueles que são da terra. A plenitude estando em Cristo, porque Deus não Lhe dá Espírito por medida.
O próprio Senhor Jesus falou tão claramente da Sua divindade aos Seus discípulos que, falar da divindade do Cristo como de um “mistério” revelado neste último tempo, atesta da ignorância das escrituras, ditada pelo fanatismo cego e sem discernimento. Leiam e entendam: Jo.3 :13 ; 6 :38,62 ; 8 :23, 42, 58 ; 10 :30 ; 14 :8-11. Também podemos ler em Mat.16:15-17, o seguinte:
“Mas vós, perguntou-lhes Jesus, quem dizeis que eu sou?Respondeu-lhe Simão Pedro: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus.”
Esta escritura confirma claramente que Pedro tinha, ele também, recebido de Deus Pai, a revelação da divindade de Jesus.
Acautelai-vos pois de interpretações particulares; assim como da euforia que provoca esses dogmas no espírito desses fanáticos sem discernimento!
A Bíblia contém toda revelação sobre O Conselho divino. Todavia no desenrolamento da profecia, O Espírito Santo traz progressivamente a luz que permite às virgens de ir ao encontro do Esposo. Esta luz é a mensagem da Palavra de Deus. Mas, é preciso que os que ouvem esta Palavra tenham em si mesmos a unção do Espírito (o azeito nos vasos). Não a unção do profeta que nos dá a conhecer o que o profeta fez ou diz; mas sim a unção do Espírito de Deus que nos torna capaz de compreender as coisas de Deus anunciadas na pregação do Evangelho neste último tempo. Coisas que dizem respeito à nossa salvação.
Sejais apercebidos de que não existe nada que possa vir à ser anunciado sobre a terra, e que não seja contida na Bíblia; melhor que não tinha sido anunciado na profecia bíblica. Aliás, a própria Palavra de Deus é enfática no que diz respeito a profecia bíblica:
“Eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro;e se alguém tirar qualquer coisa das palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão descritas neste livro.” (Apoc.22:18,19)
Os eleitos sabem que a última era é aquele em que se cumpra a promessa da restauração de todas as coisas. E como aconteceu no tempo de profeta Elias, temos neste último tempo pessoas que não dobraram os joelhos na falsa adoração. Pessoas que não devem a sua salvação ao ministério de um profeta de Deus; mas que O próprio Deus reservou para Si mesmo.
É pois nesta geração que todas as verdades são trazidas de novo à luz e que a Igreja de Cristo é restaurada na doutrina da fé apostólica primitiva. Saliento: “doutrina apostólica”; não “doutrina dos profetas”. E, acerca dessas verdades da Bíblia, digo: trazidas “de novo”, porque assim como foi na era apostólica, assim será neste último tempo. Ora, no dia de Pentecostes e dos que seguiram a este, os que ouviam as testemunhas de Jesus falar e viam os milagres e prodígios operados pelas mãos deles, glorificavam à Deus e não os pregadores. É o que faz a nossa pregação hoje: despojar os profetas da glória que os homens insensatos lhes deram; para a devolver à quem merece: Jesus Cristo, Deus bendito eternamente.
Os eleitos sabem também que não há absolutamente nada a acrescentar no que está escrito na profecia bíblica sobre o Conselho de Deus, seja por quem for. Se numa geração, alguém cuida ser profeta ou inspirada, ele deve tão-somente atestar ou confirmar o que está previsto no Conselho de Deus. Se acrescentar nele algumas outras profecias não bíblicas, Deus lhe castigará com as pragas; se tirar qualquer coisa do que foi, Deus tirará a sua parte na herança dos santos. Os verdadeiros santos testificam a profecia das escrituras reconhecendo O Esposo (não os profetas), aguardando e apressando a Sua vinda, Como está escrito: “Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém; vem, Senhor Jesus.”(Apoc.22:20)

-------------------------------------------