O ESPÍRITO DE PRESUNÇÃO

 

Jui.16:20:Despertando ele do seu sono, disse: Sairei, como das outras vezes, e me livrarei. POIS ELE NÃO SABIA QUE O SENHOR SE TINHA RETIRADO DELE”.

            Que lição podemos ainda tirar da loucura temporária de Sansão? Ao sair do sono profundo em que Dalila lhe tinha mergulhado, Sansão estava ainda convencido da vitória: “Sairei, como das outras vezes, e me livrarei”. Chegou Sansão à pensar que Deus pode honrar aquele que O despreza? De jeito nenhum! Ele assim presumia… mas na realidade: NÃO SABIA QUE O SENHOR SE TINHA RETIRADO DELE.
            Considerai agora que, é a mesma coisa que acontece no relacionamento entre Deus e Seu povo hoje! Quantos são os que se desprezaram a doutrina de Cristo e naufragam na fé, mas ainda pensam que o Senhor está ainda no meio deles? Isso só assim acontece pela influência de um mau espírito: o da PRESUNÇÃO.
Sim! Essa PRESUNÇÃO impede os homens de discernir a sua verdadeira condição espiritual, e lhes mergulha numa autojustificação instigada pela soberba e altivez de Espírito; e que encontra explicação numa alta opinião que se tem erradamente de si mesmo. Ora, “A soberba precede a destruição, e a altivez do espírito precede a queda” (Prov.16: 18).
Foi assim que aconteceu com Sansão ao acordar naquele dia! Foi assim que aconteceu no período que antecedeu a primeira vinda do Senhor Jesus Cristo. Quando esse mau espírito cegou Israel e impediu aquele povo de reconhecer a Verdade. Deus enviou o Seu anjo João Baptista com a mensagem de arrependimento para “endireitar as veredas do Senhor”. Porque? Mais, uma vez, Israel tinha abandonado o caminho de Deus. Eles invalidaram a Palavra de Deus com as suas tradições. A nova forma de adoração não passava de mera hipocrisia religiosa (Mat.15:3-9). Apesar de tudo: ISRAEL PENSAVA AINDA QUE O SENHOR ESTAVA COM EELES. E daí, a censura do profeta de Deus   
Mat.3:7-9: “Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura? Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, e não presumais de vós mesmos dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que, mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão”.
O que foi é o que será! Hoje, na véspera da segunda vinda do Senhor, essa soberba e altivez do espírito estão claramente manifestados no ESPÍRITO DE LAODICEIA que caracteriza uma igreja vencida pela presunção.
Apoc.3:17: “Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu”.
Pois que? Os católicos abandonaram a doutrina primitiva da fé cristã e caíram na idolatria e no paganismo romano, numa mistura de misticismo mitológico misturado com a necromancia; os protestantes caíram no dogmatismo multifacetado, dependendo de cada denominação religiosa e da sabedoria carnal dos seus líderes espirituais; os pentecostais por sua vez, trouxeram todo tipo de “fogos estranhos” sobre o altar; os branhamistas se desviaram da revelação para cair na idolatria do profeta elevado acima de tudo e venerado como se salvador fosse … faltar-me-ei tempo para falar disso em detalhes. Contudo, cada uma dessa religião ou igreja pensa (como Sansão) ser mais forte… melhor do que as outras. O que não sabem é que o SENHOR JÁ SE RETIROU DO MEIO. Porquanto cada uma delas quebrou a aliança de Deus, ao rejeitar o mandamento de Senhor tal como foi dado desde o princípio.
E, os entendidos sabem que ELE ESTÁ À PORTA E BATE por intermédio da mensagem da restauração que anunciamos neste último tempo, e cujo único objectivo é a reconquista da fé primitiva para a renovação da aliança com Deus e não a afiliação numa nova igreja ou organização nascente neste tempo do fim.
Apoc.3:20: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo”.