A IGREJA APÓSTATA DO ÚLTIMO TEMPO

Mas aí onde Satanás consegue um golpe de mestre, é quando leva alguns dos que se inclinam no estudo do que aconteceu na Igreja, à crer que estas coisas pertencem ao passado. Claro que não! Se analisarmos o comportamento da igreja cristã de hoje, então, poderemos dar a sua verdadeira definição à grande apostasia em que essa igreja está mergulhada. Entendemos que vivemos na era em todas as duas sementes (o trigo e o joio) atingem a maturidade. Porque o comportamento desta igreja hoje é claramente a soma de tudo o que aconteceu em gerações anteriores ou idades da Igreja.
Aqui está a sabedoria que tem inteligência: a grande apostasia é a mistura da sedução à perseguição e a contaminação; que são características da astúcia do diabo nos meios de sedução para a destruição da fé. Meios ou estratégias que acabaram por introduzir o paganismo na Igreja cristã e levaram-na à morte espiritual neste dia.
As obras dos nicolaítas tal como a sua doutrina são patentes até data presente, na prática destes obreiros enganadores que abundam na seara do Senhor, e que provam que este fenómeno não desapareceu, pelo contrário. Pois, tomou proporções assustadoras e sofisticadas. Na verdade, esses famosos "servos de Deus" e suas igrejas são, hoje, possuidores de grandes meios financeiros com que eles recorrem aos meios de comunicação social para atrair grandes multidões nas suas organizações religiosas desprovidas de verdade, e evoluindo claramente fora da revelação divina. A conquista (Niko) dos povos (Laos) é feita por meio de anúncios ou publicidades evangélicos; sermões absurdas e presunçosas baseadas ou apoiando-se em milagres e prodígios, promessa de vida abundante e bem-estar social, sucesso nos negócios, casamento, libertação de má sorte e outros azares do género, etc. Neste dia em que a profecia de Act.20: 28,29 ainda se cumpra.
            Ninguém se importa com os princípios do arrependimento, da santificação, da salvação ou da herança da vida eterna. Já não é mais o Senhor que acrescentam na Igreja os que são salvos, nos nossos dias. Porque, as multidões de gentes misturadas, se aproximam das igrejas e não de Deus; sendo animadas por todos tipos de paixões imundos. São gentes que não tiveram nenhuma experiência de salvação com o Senhor. Eles são membros das igrejas e não filhos nascidos de Deus (Jo. 1: 12, 13).
            Os falsos servos tornaram-se muito mais carismáticos do que os verdadeiros embaixadores de Jesus, e conquistaram multidões e seduzindo-as com um falso evangelho. "A má companhia não corrompe os bons hábitos"? Pelo que, muito os seguiram na sua imoralidade e dissolução. (Meditem Apoc.12: 4 e entendem o que significa estas palavras: "a sua cauda levava após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra").
            Não só muitos servos foram seduzidos pelo falso evangelho e, caídos perderam a visão e a vocação celestial em favor de um evangelho terreno e materialista. E, para manter afastado o povo da revelação da palavra de Deus, estes obreiros enganadores se organizaram e criaram uma nova ordem sacerdotal através das escolas de teologia ou outras "escolas de ministérios", que nega o sacerdócio divino (Heb.5: 4). É nessas escolas onde se multiplica a semente de falsos obreiros formados, instruídos e treinados para sustentar ou perpetuar suas heresias (a doutrina dos Nicolaítas); para a ruína das almas. O pecado domina nessas igrejas que se transformaram em sinagogas de Satanás, sob o pretexto de que vivemos no tempo de graça.
            "Todos aqueles que querem viver piedosamente" são ainda perseguidos e submetidos a todo tipo de tribulações nesta geração. Ora, verdadeiros homens de Deus que, como nós, mantiveram sua consciência pura diante de Deus, nunca irão falar da perseguição no passado.
Pese embora, não vivendo mais nos tempos dos imperadores romanos, o objectivo do diabo no seu combate contra a verdade permanece o mesmo: fazer calar os verdadeiros "profetas" de Deus para possibilitar o triunfo da mentira.
Talvez estaria à pensar que Satanás já não faz recurso à perseguição, no dia de hoje. Não, digo-vos pela palavra da verdade: ele persegue ainda hoje, todos aqueles que não pode seduzir; e "quem se desvia do mal arrisca-se a ser despojado" neste dia da grande apostasia em que a verdade anda tropeçando pelas ruas e desfalece (Is.59: 14, 15). Os filhos do Reino são entregues diariamente aos tormentos; semelhantes à ovelhas entreguem aos matadouros, eles são entregues diariamente à morte.
Todavia, da mesma forma que o poder do Espírito Santo (Consolador) fortaleceu a Igreja aquando da "tribulação dez dias", hoje, todos aqueles que, como nós, são constantemente submetidos à afrontas dos ímpios e dos falsos irmãos disfarçados em servos ou discípulos de Cristo sabem que a tribulação JAMAIS irá destruir a nossa fé.
Quantas vezes não ouvi essas palavras contra a minha pessoa, sempre que Satanás antevia as suas tentativas de destruir o meu ministério frustradas? "ele não é mais digno de pregar… ele caiu… ele não deve mais se aproximar do altar ", etc. Sem querer ser meu próprio juiz, também não me importa ser julgado por homens, porque é o próprio Deus quem me julga. Contudo, os eleitos de Deus podem reconhecer a glória do Evangelho de Cristo no nosso testemunho. Pelo que, é só aos eleitos que nos recomendamos:
"Por honra e por desonra, por má fama e por boa fama; como enganadores, porém verdadeiros; como desconhecidos, porém bem conhecidos; como quem morre, e eis que vivemos; como castigados, porém não mortos; como entristecidos, mas sempre nos alegrando...". (2Cor.6: 8-10)
            Pelo que, independentemente das astúcias do diabo, e isso apesar da dor cruel que sentimos na nossa própria carne que carrega as marcas de Cristo, fiz minhas estas palavras: "Nunca me calarei (acontece o que acontecer comigo) até que triunfa a justiça do povo Santo". Sim, é mais fácil para o diabo, impedir que as pessoas se aproximam de nós para ouvir o que temos à dizer da parte de Deus; todavia é-lhe impossível impedir-nos de pregar a boa palavra de Deus aos eleitos, que Deus previamente preparou para alcançar a salvação por meio da nossa mensagem.
            E, digo-vos pela palavra da verdade: uma igreja que combate e rejeita os verdadeiros enviados de Deus nunca poderá se livrar dos laços da apostasia e, por conseguinte, da servidão. Porque a verdadeira libertação encontra-se no conhecimento da verdade de Deus; que Jesus Cristo revela aos Seus embaixadores (Jo. 8: 32-36).
            Não está escrito: "Verdadeiramente a opressão faz endoidecer até o sábio, e a peita (aliciação ou suborno) corrompe o coração"? (Eccl.7: 7).
Pelo que, aqueles que receiam de levar sua cruz se deixam então contaminar para sobreviver.
A idolatria manifestada no culto de personalidades e de imagens está sempre presente na igreja cristã, sob várias formas. E a prostituição espiritual, gerada pela cultura politeísta dos povos pagãos que compõem essas igrejas também. Consequência? Essa igreja apóstata mergulhou nos sacrifícios contínuos denominados “serviços” (de libertação ou curas), jejuns e orações, retiros periódicos, etc. A igreja cristã substitui os fundamentos da doutrina de Cristo por rituais e dogmas próprios. Cada uma dessas igrejas cristãs estabeleceu suas próprias festividades e credos, etc. O paganismo é palpável hoje na igreja cristã que abandonou sua vocação celestial para se conformar com o século presente. E, eu afirmo sem receio de ser contestado que, a grande apostasia mergulhou a igreja cristã nas profundezas de Satanás, neste fim do tempo em que vivemos.
            Satanás se transformou em anjo de luz. Seus ministros todos se transformaram em ministros de justiça, de acordo com a Palavra (2Cor.11: 13,14). Neste dia do fim, porém, feiticeiros, adivinhadores, mágicos e outros encantadores transformaram-se todos em "profetas de Deus", e contaminaram a casa de Deus, transformando-a uma caverna de ladrões e salteadores.

--------------------------------------------