A LIÇÃO DO TABERNÁCULO

   
Vamos agora tentar compreender essas coisas na lição do velho testamento com respeito ao tabernáculo. Este estava composto de duas partes essenciais (tirando o pátio ou a parte exterior): o lugar santo e o lugar santíssimo ou o Santo dos santos.   
O que se achava no lugar santo? Três coisas: o castiçal, a mesa e os pães (doze) de proposições. Diante destas coisas se encontrava um véu que vedava e ocultava o caminho que conduzia no Santo dos santos, ou na presença do Senhor. Neste lugar santo ou santuário adorava em todo tempo os sacerdotes de serviço (Heb.9:2-6). Ora, de acordo com a Escritura, Jesus Cristo é o verdadeiro santuário para esses que só temem à Deus e O santifica, longe dos cultos dos homens fundamentados nas interpretações particulares e outras superstições ou crenças (Is.8:11-14).   
O que representam então estas coisas? O Castiçal com suas sete lâmpadas representa a Igreja (corpo único) do Cristo, iluminado pelas verdadeiras mensagens da Palavra de Deus que revela a glória do Cristo e não de um homem qualquer. Agora, a comunhão com o corpo e o sangue do Cristo da qual todos esses que adoram no santuário participam: é isso que nos é representado aqui pela mesa do Senhor no lugar santo (Sal.23:5; 1Cor.10:16;21). Os doze pães de proposição representam a doutrina primitivo de doze apóstolos na qual esta comunhão se realiza (Jo.17:20,21; 1Jo.1:1-4).   
Aqui está o entendimento: Libertados dos pecados pelo sangue de Jesus Cristo, nos tornamos um reino de sacerdotes para o Deus Pai (Apoc.1:6). Recebendo assim a graça de nos separar dos temores vãos inspirados pelas nossas tradições baseadas na vaidade, afim de adorar no santuário. Onde o Espírito Santo (o Vaso de azeite que alimenta as lâmpadas do Castiçal) ilumina a compreensão desses que escutam as verdadeiras mensagens da Palavra de Deus. 
   Porém, é neste lugar onde o espírito anticristo, par contrariar à acção do Espírito Santo, inspira e também ensina as falsas mensagens que corrompem o entendimento de muito destes sacerdotes. Conclusão: a Igreja perde o primeiro amor na Palavra de Deus, a semente original. O verdadeiro castiçal é tirado do seu lugar (Apoc.2:5), e para muito destes sacerdotes, a luz que estava neles se torna escuridão (Mat.6:22,23). A igreja desaba na cegueira espiritual (está aqui a realidade da idade de Laodiceia). Aqui está a queda das estrelas! Muitos servos são seduzidos e corrompidos pelo espírito do engano neste combate que opõe a Igreja à Satanás no último tempo, tal como a representação nos é feita na profecia da mulher e o dragão em Apocalipse 12. Espíritos enganadores ensinam "doutrinas de demónios" (1Tim.4:1).
As falsas mensagens geradas pelo espírito do erro encaminham a Igreja na comunhão na mesa dos demónios por meio destas doutrinas estranhas que provocam a ira e o ciúme do Senhor (1Cor.10:21,22). Os cristãos seduzidos, vacilam, embriagados pelo vinho da impureza da grande prostituta (a grande Babilónia); estimulados ou excitados pelas falsas revelações, semelhantes às bebidas fortes, eles têm vertigens… corruptos de entendimento, eles perderam o discernimento da obra de Deus, e "a Palavra de Deus é para eles mandamentos sobre mandamentos, regra sobre regra: um pouco aqui, um pouco ali". Trata-se de uma mistura. Compreenderam agora? E de acordo com o que é escrito: "Todas as suas mesas estão cheias de vómitos e de imundícia…". Aqui se cumpra a profecia de Is.28:7-13. E, eis que estas igrejas participam, ao mesmo tempo, na mesa do Senhor e na mesa dos demónios, comendo o pão da idolatria. Sim, eu vos digo isto na verdade: tal e qual a comida sacrificada aos ídolos, tais são essas doutrinas que incitam as almas fracas e em mal de discernimento na exaltação ou a adoração de uma criatura no lugar ou ao lado do Criador.
Ora, se os pães de proposição representam o testemunho dos apóstolos que exaltam Aquele que estava desde o começo e conduz na presença do Senhor acolá do véu; as novas doutrinas que vieram à luz entre nós engrandecem outros Jesus... indicam outros caminhos como sendo capaz de levar à salvação.   
Todos esses falsos testemunhos de Jesus que se fundamentam nos "assim diz fulanos" ou "assim diz nossas igrejas" provocam o ciúme do Senhor. Nos apresentando homens levantados nas igrejas "onde não devem estar": aqui está pois, a abominação da desolação, estabelecida no lugar santo hoje em dia. É essa coisa que conduz as igrejas e o mundo na adoração do Ímpio ou o Homem do pecado de 2 Tes.2. Pelo que, não deixo de repetir à intenção dos eleitos neste hora derradeira: Saem do meio deste sistema de adoração corrupto! Fogem da idolatria!   
A verdadeira mensagem da Palavra de Deus pela sã doutrina estabelecida no lugar santo produz a verdadeira luz que conduz no Santo dos santos, na presença do Senhor, segundo o que está escrito: "Bem-aventurado o povo que conhece o som festivo (da trombeta) … " (Sal.89:16). As falsas mensagens produzem falsos cultos. Estes por sua vez exaltam os falsos deuses que geram a idolatria estabelecida nas igrejas. Aqui está a abominação que conduz ao devastador… e seguramente para a desolação, na hora do reinado totalitário do Anti-Cristo.  
Lembrai-vos pois do mandamento (Ex.20:3-5), e não vos inclineis diante dessas imagens esculpidas ou qualquer outra representação (a fotografia, por exemplo) erguida nos vossos lugares santos, diante da face do Senhor. Olha, não fazem tal coisa! Que Deus vos ajuda à compreender esta pregação. Misericórdia divina! Seja recto o meu coração para com os Teus estatutos, para que eu não seja confundido naquele dia. Segundo o que está escrito (Sal.119:80).   
     

  1.