A MÁ CONCEPÇÃO DO LOGOS

NAS“IGREJAS DOS PROFETAS”NO TEMPO DO FIM

            Chamo “igrejas dos profetas”, todas aquelas igrejas que, apesar de se identificar ao Deus da Bíblia e ao Seu Cristo; reúnem-se na verdade em torno da pessoa e do nome do seu “profeta”, fundador ou precursor do movimento ao qual se identificam
Não falo de “igrejas de profetas” tendo na mira tal igreja ou tal outra. Não! O conceito “igreja dos profetas” é abrangente a todas essas igrejas que, neste dia do fim tem um modelo de fé fundamentado sobre um princípio simples e idêntico à todas elas, e que se define assim: “Cremos em Deus e reconhecemos que “fulano” é o seu profeta”. Esse profeta é imposto (ou impõe-se à si mesmo) sobre o sistema de adoração e na fé dos crentes. Ouvindo-lhes falar, temos a nítida impressão que mesmo a fé no próprio Jesus seria incapaz de salvar alguém, se este não crente primeiramente no “profeta”. Falo de um culto onde o “profeta” nos é apresentado como o caminho obrigatório que conduz à salvação e à Deus. Tanto faz se este “profeta” levantou-se em África ou nas Américas, na Ásia, na Europa ou na Oceânia; na igreja “dele”, seus discípulos olha para ele como um intermediário entre Deus e os homens. É isso aí!
Nessas “igrejas dos profetas” do tempo do fim, o conceito do LOGOS conheceu uma verdadeira derrapagem.
Não somente assistimos a uma verdadeira perca de identidade da divindade do Cristo; como também à aparição de “falsos cristos”, em confirmação da advertência do próprio Senhor, quando chamou a nossa atenção sobre os sinais precursores da Sua segunda vinda; isto é no último tempo.
“porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos”. (Mat.24:24)
            Sim, os grandes prodígios e milagres que se manifestaram no ministério de alguns pregadores serviram de pretextos para aparição de novos “filhos do homem” na Igreja do Cristo. E, na pregação dos “discípulos – fanáticos” desses novos “messias”, não somente é uma afronta contra a Verdade das escrituras (falo da Escritura que não pode ser anulada pelas revelações recebidas pelos homens hoje); mas também uma violência contra a nossa fé Neste “Filho Único”, Único Autor e Consumador da nossa fé para a salvação.
Apesar de sinais poderosos que podem acompanhar e confirmar o ministério de um servo de Deus, quero que saibais e guardai isso nos vossos corações: Deus nunca encarnou-se mais de uma vez; antes ou depois de O ter feito em Jesus de Nazaré. Este é “O LOGOS” vindo na carne.
Deus estava em Moisés. Ele andou com Enoque, e com Elias. Ele estava com cada um de Seus profetas; cada um de Seus enviados (Ex.3:12a; Jos.1:5; Jer.1:8). Segundo o que está escrito: “a mão do Senhor estava com ele…”. Ou ainda: “O Espírito do Senhor estava sobre mim…”. Ele estava com João Baptista e todos os profetas. Todavia, Ele estava “EM” Jesus Cristo para reconciliar o mundo consigo mesmo (2Cor.5:19).
Antes do Cristo, todos os profetas que profetizaram na terra diziam: “Assim diz o Senhor”. Mas, quando “O LOGOS” veio na terra, disse: “Na verdade, na verdade, EU vo-lo digo”. Aqui está o poder da infalibilidade da Palavra de Deus que se revelou Ela mesma na carne. Ninguém antes dele teve a ousadia de afirmar: “Quem me vê a mim vê o Pai”; ou ainda: “Eu e O Pai somos UM”.
A pergunta que se coloca é a seguinte: Alguém pode afirmar nessa geração: “Quem me vê a mim, vê o Filho do homem”? Ou ainda: “Eu e O Cristo somos UM”? Não! Salvo a menos que seja um insensato… um anticristo. Pois, na Verdade, O LOGOS jamais se encarnou num homem qualquer… numa outra carne. Hoje, Ele (Jesus Cristo) manifesta-Se com todos os Seus ministros de Ef.4:11, que fazem função de embaixadores do Cristo (2Cor.5:20); como Ele mesmo o diz: “Quem vos recebe, a mim me recebe; e quem me recebe a mim, recebe aquele que me enviou.” (Mat.10:40). E, todos os Seus enviados que pregoam ou profetizam na Sua Igreja para o Seu povo, dizem: “Assim diz O Senhor Jesus”. Mas, ninguém pode dizer: “Na verdade na verdade EU vo-lo digo”. Só O LOGOS (O Verbo de Deus) pode falar dessa forma. Porque, O LOGOS que estava no princípio com Deus; existindo Ele mesmo em forma de Deus pode fazer tal afirmação. É pelo LOGOS que todas as coisas foram criadas e nada existe sem Ele (Jo.1:1,2). Ele veio em carne e fez esta declaração: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, apedrejas os que a ti são enviados! quantas vezes quis EU ajuntar os teus filhos…”(Mat.23 :37). Entendem isso? Ele já era antes de vir em carne. E, quando O LOGOS veio em carne, a Bíblia (Palavra revelada e escrita) revela : “e vimos a sua glória, como a glória do UNIGÊNITO do Pai.” Este é sim, O Filho do homem!
E, Este Filho assim gerado é segundo o testemunho da Palavra em Heb.1:1-3: O Herdeiro de todas as coisas. Sendo que por Ele, Deus criou todas as coisas. Ele é o resplendor da glória de Deus e a expressa imagem do Seu Ser. É ainda Este “Filho do homem” que sustenta todas as coisas pela palavra do Seu poder, e que está assentado à direita da Majestade nas alturas (e não enterrado em qualquer túmulo, de qualquer cemitério ou mausoléu que seja).
Dou testemunho deste “Filho do homem” que foi feito tanto mais excelente do que os anjos, e que herdou de um Nome mais excelente do que qualquer anjo que seja. Este Filho do homem que é o primogénito de toda criação; aquele que todos os anjos de Deus adoram. Assim como o testemunhou de maneira transcendente, o anjo que estava com o apóstolo João no Patmos; quando este queria o adorar:   
“Então me lancei a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: Olha, não faças tal: sou conservo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.” (Apoc.19:10)
Acautelai-vos de falsos mestres e do seu fermento. Afirmar que houve uma outra manifestação do Filho do homem que não seja Jesus; seria como dizer que O LOGOS teria vindo na terra numa outra carne que a de Jesus.
Isto consiste em negar O UNIGÉNITO. Pois, se temos mais de um, nem se pode ainda falar do “UNIGÉNITO”. O que seria uma aberração!
Alguém me disse : « Nós cremos que a divindade se encarnou no nosso profeta… Ele é o Absoluto na nossa era ». Escutem, caros amigos…, eu vos reconheço o direito de crer em tudo em que quiser acreditar. Alias, encontramos essa crença do “absolutismo do profeta” em muitas dessas “igrejas de profetas”, que se desviaram da simplicidade da Palavra para a interpretar particularmente. Nesses meios onde os fanáticos olham pelos seus “profetas” como se de encarnações divinas se tratassem.
Ouvimos pois aqui ou acolá, gente a afirmar: “Jesus pisou de novo a terra e foi visto nas ruas da América…”; “Jesus nasceu pela segunda vez em África…”, Ou ainda: “Hoje, Jesus só se manifesta ao mundo pelo fulano ou fulano-de-tal que é o Seu único enviado; e, em quem todos devem crer se quiserem se salvar”, etc. Bem quereria, eu mesmo, ser anátema e separado do Cristo, para acreditar também nisso, mas NÃO É VERDADE! Pelo que, suportai que vos digo que é anticristo. Aqui está O ENGANO para a sedução acerca do qual o Senhor Jesus falou em Mat.24:24.
Pois, os eleitos sabem que O “Absoluto” é Aquele (não “aqueles”) em que habita a plenitude da divindade corporalmente.
Falando da Sua segunda vinda, O próprio Senhor Jesus prometeu, dizendo: “E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos tomarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.” (Jo.14:3)
De que outra segunda vinda do “Messias” se trata; cuja finalidade seria outra do que o arrebatamento? Isto é contrário a Palavra. Eis o que O Senhor disse:
“Acautelai-vos, que ninguém vos engane. Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão (...) Se, pois, alguém vos disser: Eis aqui o Cristo! ou: Ei-lo aí! não acrediteis; porque hão-de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que de antemão vo-lo tenho dito.” (Mat.24:4,5, 23-25)
Sim, não podemos, nem devemos dar crédito nessas interpretações particulares da profecia bíblica pelos homens sem entendimento. Pois, foi nisso que O Senhor se referia, quando disse: “Eis que de antemão vo-lo tenho dito.”

----------------------------------------