A MISSÃO DO CONSOLADOR

   
Muitas são as pessoas que confundem esta igreja gloriosa cuja obra começou no dia do Pentecostes, com as igrejas denominadas de "reavivamento" que caracterizam o grande Movimento Pentecostal nesse fim dos tempos.   
      Isso entra na lógica das interpretações particulares e da falta de entendimento sobre o que foi realmente alcançado no dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo (em cumprimento da promessa do Senhor Jesus) foi derramado sobre o pequeno rebanho reunido em oração. Este pequeno rebanho (cerca de cento e vinte homens) constituía a Igreja do Senhor que Ele tivera prometido de edificar sobre a Pedra angular em Mat.16.18. A igreja para a qual à Si mesmo se entregou; afim de santificar a mesma pelo sacrifício do Seu próprio corpo quebrada para os Seus, e do Seu sangue derramado para eles no dia da Páscoa.    
      Porém, se nós meditamos com atenção Mat.16:18, ao dizer: "Edificarei a Minha Igreja", o Senhor Jesus faz claramente referência à um tempo vindouro e não ao tempo presente que representou os dias de Sua carne. Pois que… Está escrito nos profetas: "A Pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina "(Sal.118:22); e ao mesmo tempo: "Uma pedra de tropeço e uma rocha de escândalo" (Is.8:14). Ora bem, de acordo com esta mesma profecia de Isaías 8, aquilo que os judeus rejeitaram, veio à ser o Santuário dos que crêem e temem à Deus. Este é o mistério da vocação dos pagãos que esteve, nos outros séculos, oculto aos olhos dos profetas do velho testamento e que se cumpra pela igreja.    
Pelo que, na lógica de Deus, enquanto a Palavra estava sendo dirigida primeiramente aos judeus, era impossível falar ainda da Igreja do Cristo. Primeiro, convinha que Ele padecesse muito e fosse rejeitado. Foi o que aconteceu na Páscoa, quando pela Sua morte, Ele pagou o preço requerido (exigido) pela lei para livrar o Seu povo do predomínio do pecado. Então, a revelação do Cristo (essa é a Pedra fundamental) que se cumpria em Jesus e, foi um verdadeiro escândalo para os judeus, iria se tornar no fundamento da Igreja do Deus vivo.   
Agora considere isto… de mesmo modo que no começo, o apóstolo Pedro recebeu do próprio Pai celestial a revelação do Cristo (Mat.16:16,17), a mesma coisa tem que absolutamente acontecer no fim. Porque, sem a Palavra da revelação, ninguém pode conhecer a Verdade de Deus (Mat.11:25-27).    
Como está escrito: "As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem, são as que Deus preparou para os que o amam. Mas DEUS NO-LAS REVELOU PELO SEU ESPÍRITO" (1Cor.2:9,10). Entenda… a glória de Deus é esconder as coisas. Assim sendo, só o Espírito Santo pode sondar estas coisas escondidas nas profundidades de Deus à compreensão do comum dos mortais e dar-nos o conhecimento perfeito pela REVELAÇÃO. É aqui onde Deus destrói a sabedoria dos sábios e a inteligência dos inteligentes. Aqui também onde é revelado a impotência e a incompetência da teologia e outras filosofias humanas na obra da edificação da Verdadeira Igreja.    
Pelo que, ao fazer aos discípulos a promessa do envio do Espírito Santo, o Senhor também define a missão deste Consolador para a igreja:O Espírito Santo vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar tudo quanto vos tenho dito" (Jo.14:26); e ainda: "Ele vos guiará EM TODA A VERDADE; porque não falará de Si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há-de vir. Ele Me glorificará, porque há-de receber do que é Meu, e vo-lo há-de anunciar. Tudo quanto o Pai tem é Meu; por isso vos disse que há-de receber do que é Meu e vo-lo há-de anunciar “ (Jo.16:12-15).   
Você entendeu pois… esta é a missão do Espírito Santo. Sim, entre outras coisas, as aberrações ou equívocos que geraram o "Pentecostalismo", deram luz às "igrejas do Espírito Santo" disto ou daquilo. Todavia, o Senhor disse claramente que o Espírito Santo não falará de Si mesmo. Isso deixa-nos entender que, Esse Espírito não viria na terra para fundar ou edificar as suas próprias igrejas. A este ponto, os eleitos bem sabem que é para consolar (confortar) a Esposa desamparada no mundo pela ausência do Esposo e conduzir essa Igreja do Cristo em toda a Verdade que o Espírito Santo nos foi dado do Céu. E, a Palavra de Deus é a Verdade (Jo.17:17).   
Sim, é necessário que eu insisto sobre esta coisa neste dia do fim para a restauração da Verdade primitiva… O Espírito Santo foi nos dado do céu par nos dar toda a luz e iluminar nossa compreensão na Verdade contida na doutrina do Senhor Jesus. Pelo que não ensinará nenhuma coisa nova fora daquilo que foi dito no começo. Ele não poderá gerar novas revelações. Ele confirmará portanto a Palavra de Deus pela revelação de Jesus Cristo.   
Quero dizer isso de uma forma muito mais clara… para estar bem seguro que a minha pregação não será mal interpretada a este ponto: o Espírito Santo é a Unção Verdadeira que nos é enviada da parte de Deus para nos ensinar todas as coisas (1Jo.1:20,27) e nos revelar a glória do Cristo escondido aos olhos dos príncipes (políticos e religiosos) deste mundo. Razão pela qual Jesus disse: "Ele me glorificará". O Espírito Santo, sendo o Espírito da Verdade, é o ÚNICO intérprete infalível da Palavra de Deus: O ENSINADOR POR EXCELÊNCIA QUE NOS ASSISTE E NOS CONDUZ À PERFEIÇÃO; NOS MANTENDO (nós, o corpo) BEM AJUSTADO À CABEÇA; isto é à Cristo. É pelos laços da Sua assistência (auxilio) que a Igreja-Esposa resiste contra todo o vento de doutrinas pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulentamente; e permanece naquilo que nós ouvimos desde o princípio na própria boca do Senhor.   
Por seu lado, os "pentecostais" ao considerar sem entendimento o que aconteceu naquele dia de "Pentecostes", se limitaram infelizmente (para a própria ruína deles) nas coisas visíveis: línguas de fogo, vento impetuoso, dons de falar línguas estranhas, etc… Eles apenas pararam nos sinais e não discerniram o objectivo essencial de Deus; a realização de uma intenção anteriormente determinado! Pelo que, esta percepção sensual da coisa de Deus os impediu de discernir a grande Verdade: o testemunho do Espírito Santo na boca dos discípulos da primeira hora.   
Aqui está a Verdade: a diversidade de línguas manifestada no dia do Pentecostes concorria juntamente em uma coisa só: o testemunho das maravilhas de Deus anunciou à todos os homens, em todos os idiomas (Act.1:11).
      E quando o discernimento veio à faltar naquela primeira geração (Act.2:9-13), a primeira pregação do apóstolo Pedro revelou para eles, e não só, o fundamento da Verdade, como também o que estava acontecendo verdadeiramente naquele dia: "Varões israelitas, escutai estas palavras: a Jesus, Nazareno, Varão aprovado por Deus entre vós… vós O crucificastes e matastes pelas mãos de injustos… Deus O ressuscitou, soltas as ânsias da morte… de sorte que, exaltado pela dextra de Deus, e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto, que vós agora vedes e ouvis… Saiba, pois, com certeza, toda a casa de Israel, que a Esse Jesus, a quem vós crucificastes, Deus O fez Senhor e Cristo" (Act.2:22-36).   
Pois que? A primeira pregação do homem cheio do Espírito Santo glorificou Jesus Cristo: O CRUCIFICADO RESSUSCITOU DOS MORTOS. E, ELEVADO À DEXTRA DO PAI, ELE FOI FEITO SENHOR E CRISTO E VEIO À SER O AUTOR DA SALVAÇÃO PARA TODOS AQUELES QUE CRÊEM EM SEU NOME. Na sua segunda pregação, ele nos dá a confirmação absoluta disto, dizendo: "E em NENHUM OUTRO há salvação…" (Act.4:12).   
Está aqui O VERDADEIRO PENTECOSTES! Cristo glorificado na pregação de todo aquele que recebeu o Espírito Santo do céu para falar da parte de Deus. Todo o resto está baseado no engano. Guardai-vos do fermento do pentecotismo organizado. São essas falsas mensagens fundamentadas nos sinais e milagres que, ao invés de acrescentar a piedade na fé de todos esses que são atraídos pelos esses discursos, geram pelo contrário todo espécie de paixões impuras e luxúrias carnais que desviam a Igreja do Seu Verdadeiro Senhor e Salvador; como também da sua verdadeira vocação que é celestial. A Igreja se perde assim numa conquista das coisas visíveis e no fanatismo destes milagreiros que procuram por meio dessas coisas, a própria glória deles (Mat.24:24). Assim triunfa o materialismo para a glória de Mamon e não de Deus. Pelo que, O "PENTECOSTALISMO ORGANIZADO" É UMA NEGAÇÃO FORMAL DOS ENSINAMENTOS DO CRISTO, como pode nos confirmar a escritura de Mat.6:19-34.   
A todos esses que só entendem a linguagem de sinais para acreditar, o Senhor Jesus diz em Mat.12:39,40, isto: "Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém não se lhe dará outro sinal senão o do profeta Jonas; pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no seio da terra". Em 1Cor.1:22,23, Paul faz esta declaração:"Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria; mas nós pregamos a Cristo crucificado… ".    
O que significa isso? Moisés fez muitos milagres no Egipto, apesar disto, o Faraó permaneceu na incredulidade e Israel na escravidão. Foi o milagre da Páscoa (o Cordeiro imolado para cujo sangue serviu de sinal para os resgatados) que salvou Israel e o levou fora do Egipto. No Novo Testamento, Jesus fez também muitos milagres aos olhos dos judeus, apesar disto, eles não acreditaram nEle para alcançar a salvação (Jo.12:37). Pois que? OS SINAIS E PRODÍGIOS NÃO PODEM SALVAR NINGUÉM! Pelo que, O MAIOR MILAGRE QUE TROUXE A SALVAÇÃO AOS HOMENS É O DA PÁSCOA ONDE JESUS CRISTO, O CORDEIRO DE DEUS IMOLADO PARA NOSSOS PECADOS NOS RESGATOU DA MORTE. Nesse caso, a morte e a ressurreição do Cristo (prefiguradas no milagre do profeta Jonas) caracterizam o SINAL MAIOR na realização do plano de Deus para a salvação de todos esses que são chamados por Seu decreto à ser santos. Fazendo da Páscoa, o ponto de referência obrigatória e de Cristo (o Cordeiro de Deus), o Autor inquestionável deste Plano de salvação; pelo Qual a raça humana, morta por causa do pecado é regenerada e vivificada como uma criação nova e espiritual. Segundo o que está escrito:"Se alguém está em Cristo, nova criatura é".    
É pois nEle e por Ele Só que Deus opera a regeneração e a restauração. Todos os profetas desde Moisés, anunciaram esta Verdade que foi confirmada no dia de Pentecostes.   
Pelo que, a importância que reveste o conhecimento desta Verdade, nesta hora do fim em que se cumpra a promessa da restauração de todas as coisas, obrigue-me parar um momento, de forma à que juntos com os eleitos possamos meditar sobre:   

  1.