Os profetas no antigo testamento

“Então disse: Ouvi agora as minhas palavras: se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, a ele me farei conhecer em visão, em sonhos falarei com ele.” (No.12: 6).
“Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas” (Heb. 1,1)

         O que é um profeta? A palavra "profeta" identifica qualquer um que não diz nada, por si só, mas sim fala em vez, ou no lugar, de outro. É, portanto, um arauto, um mensageiro, um prenúncio de coisas que lhe foram dadas para dizer. E se temos que ficar exclusivamente com o que diz a Bíblia, vamos definir "profeta de Deus", como aquele a quem Deus se revela em visões e fala em sonhos (No.12: 6). Um homem que não produz nada de si mesmo, mas movido pelo Espírito Santo, torna-se um dispensador dessas coisas que Deus lhe revelou para falar ou agir da Sua parte (1Pe.1: 10-12; 2Pe.1: 21)
O nome “Profeta” é também aplicado a uma pessoa que pode ver o futuro no presente; e falar acerca das coisas que ainda não se cumpriram. Agora quem pode sondar o futuro para falar dele com certeza absoluto? Ninguém melhor do que o próprio Deus:
“…anuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as coisas que ainda não sucederam; que digo: O meu conselho subsistirá, e farei toda a minha vontade” (Is.46.10)
         Sim, Só Deus sabe desde o início o que deve acontecer; quando essas coisas devem se cumprir; como e por quem? Apesar de ter tido em Israel (e entre outros povos do mundo também) pessoas que sondavam os espíritos adivinhantes sobre o futuro; ninguém pode fazer previsões como Deus e fazer com que essas coisas se cumprissem:
“Assim diz o Senhor, Rei de Israel, seu Redentor, o Senhor dos exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus. Quem há como eu? Que o proclame e o exponha perante mim! Quem tem anunciado desde os tempos antigos as coisas vindouras? Que nos anuncie as que ainda hão-de vir.” (Is.44.6, 7)
No entanto, nas escrituras, a ira do Senhor se manifestou várias vezes contra os espíritos dos adivinhos e contra todos aqueles que, em vez de consultar o seu Deus, investigavam esses espíritos para prever o seu futuro (1 Sam. 28: 3, 8, 9; 2R.21: 6; 23: 24; 33: 6; Is.8: 19; 19: 3; 41: 22,23). Pois, só Deus dá um futuro feliz para o Seu povo. Além disso, O Senhor proibiu ao Seu povo a prática de profissão de adivinhador, astrólogo, áugure ou mágico (Deut.18: 10).
O que fazer, então, se não se pode consultar esses espíritos malignos? Senão consultar o próprio Deus. Então, se só Deus conhece o futuro, cabe pois à Ele o revelar ao Seu povo ou à um homem. E, como ninguém vê Deus, consultava-se Deus por meio do homem de Sua escolha. E esse homem que Deus usa é o chamado "profeta". Mas vamos ver o que a Bíblia diz sobre isso em 1Sam.9: 9:
“ (Antigamente em Israel, indo alguém consultar a Deus, dizia assim: Vinde, vamos ao vidente; porque ao profeta de hoje, outrora se chamava vidente.)”
         Entenderam? Para consultar à Deus as pessoas iam ao "vidente" ou seja: um homem a quem o Senhor Deus dotou de um dom sobrenatural que lhe tornava capaz de "ver" o futuro e falar disso ao ou aos homens da parte de Deus. Este homem, que era "a boca de Deus" é aquele que, agora é chamado de "profeta". Vimos pois na Escritura acima que, os filhos de Israel não chamavam Samuel: "profeta", mas sim "vidente" (1Sam.9: 11, 18,19; 1Cr.9: 22). E não só Samuel, mas o profeta Gad também é chamado de "vidente" (1Cr.21: 9; 2Sam.24: 11). Em 2 Cr.16: 7,10 Deus enviou Sua palavra ao rei de Judá por Hanâni, o "vidente". Em 2Cr.29: 25, os levitas foram postos na casa de Deus: “...conforme a ordem de Davi, e de Gade, o vidente do rei, e do profeta Natã; porque esta ordem viera do Senhor, por meio de seus profetas.” Assim, seja Gad, o vidente ou Natã, o profeta; todos eles são considerados profetas do Senhor. Permanecendo sempre na luz das escrituras, compreendemos então que, Deus deu olhos aos videntes, e colocou Suas palavras na boca dos profetas (Is.30: 10). Levantaram-se muito mais ainda… (2R.17: 13). Deus também revelou em visões de profetas como Isaías (Es.21: 2); Ezequiel (Ez.1: 1; 8: 3,4; 11: 24; etc.).
         No começo, foram chamados "videntes", por causa da importância de visões e sonhos. E se queremos entender a Verdade sobre essas coisas, vamos nos referir às próprias palavras do Senhor em No.12: 6: “Então disse: Ouvi agora as minhas palavras: se entre vós houver profeta, eu, o Senhor, a ele me farei conhecer em visão, em sonhos falarei com ele.”
Por isso, é junto destes homens a quem o Senhor deu visões e falou em sonhos que os filhos de Israel se dirigiam para conhecer o futuro que Deus lhes tinha reservado; em vez de ir consultar os espíritos dos adivinhos. Sim, Deus revelava Sua vontade a Israel pelos "videntes" que agora são chamados de "profetas". Como foi dito na Epístola aos Hebreus: “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas” (Hb 1.1).
         E, embora se tinha levantado muitos profetas e videntes em Israel, a missão deles todos nos é resumida na escritura de 2R17: 13:
“Todavia o Senhor advertiu a Israel e a Judá pelo ministério de todos os profetas e de todos os videntes, dizendo: Voltai de vossos maus caminhos, e guardai os meus mandamentos e os meus estatutos, conforme toda a lei que ordenei a vossos pais e que vos enviei pelo ministério de meus servos, os profetas.”
Assim, nas suas mensagens, havia avisos para que o povo de Deus se desviasse dos caminhos tortuosos indicados por espíritos enganadores e falsas guias do povo que ensinavam heresias. Através do ministério dos profetas e videntes, o Senhor encorajava os filhos de Israel em permanecer nos Seus mandamentos e preceitos, observando INTEIRAMENTE a Lei que Deus havia ordenado à seus pais. Entenderam isso? Por se tratar de uma figura para hoje, em que os verdadeiros profetas de Deus devem nas suas mensagens ou pregações, trazer os filhos de Deus na Igreja, à observar as palavras do Senhor Jesus Cristo; de acordo com a doutrina que foi dada à nossos pais, isto é os apóstolos, desde o início. Disso faz fé a ordem de missão de Mat.28: 20; assim como a pregação do apóstolo João em 1Jo.1: 1-4.
Nenhum profeta; nenhum vidente, servo de Deus, jamais produziu a sua própria profecia.
“Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo.” (2Pi.1 21)
No entanto, não vamos ser ingênuos a ponto de pensar que todos aqueles que receberam visões e profetizaram fossem de Deus. O exemplo de Balaão, o adivinho que se fazia passar por um profeta, tornou-se notório. Na verdade, também houve entre o povo falsos videntes e falsos profetas; homens com os olhos e a mente adormecida e dizendo vaidade (Is.29: 10; Mi.3: 7; Ez 3: 6-23; 13 : 6; 21: 29; 22: 28; Jer .14: 14; Lam.2: 14).