A SINALÉTICA DE DEUS

"Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles dizem: Não andaremos. Também pus atalaias sobre vós, dizendo: Estai atentos à voz da buzina. Mas dizem: Não escutaremos. Portanto ouvi, vós, nações, e informa-te tu, ó congregação, do que se faz entre eles… Eis que eu trarei mal sobre este povo, o próprio fruto dos seus pensamentos porque não estão atentos às minhas palavras, e rejeitam a minha lei". (Jer.6:16-19)

Um servo, enviado de Deus, é um sacerdote que entra no santuário, ali onde adoram o povo de Deus e acende a lâmpada, pela mensagem da sua pregação. Você vê a luz e se alegra, pensando estar já na presença de Deus. Pois não! Sirva-te desta luz para avançar ao encontro do Senhor que está por detrás do véu. E, muitas vezes, a aparência desse servo é uma espécie de véu que oculta o Espírito que fala nele, para nós, afim de nos revelar o propósito final do plano de Deus que é de nos conduzir na Sua presença. Mas, o que faz a maioria de adoradores? Eles se contentam da luz e daquele que a acende e param diante do véu. No fim: eles não entram na presença de Deus e se limita ao homem que fala ou falou no meio deles. É o que Jesus disse aos judeus: João era a candeia que ardia e alumiava, e vós quisestes, por algum tempo, alegrar-vos com a sua luz…". Por isso me insurge constantemente, na minha pregação, contra a tendência que visa reter e travar a marcha da Igreja que, com a partida de um determinado servo de Deus, fica estática ao invés de prosseguir a sua marcha, olhando na direcção indicada.
Vou esclarecer o meu pensamento com um exemplo: quando você vai numa cidade que mal conhece e que ali você depara com uma tabuleta ou um letreiro que te monstra a direcção à seguir; essa tabuleta não é o teu destino, mas sim a luz que ilumina o teu caminho. E, agora se avançado alguns quilómetros na direcção indicada, e que depois de um certo tempo começar à ter alguma dúvida sobre o caminho seguido, qual é a atitude mais inteligente? Para e perguntar alguém que te parece andar com segurança por melhor conhecer a cidade, ou então voltar quilómetros atrás à essa tabuleta que ficou para trás para dissipar as dúvidas? Fazendo aplicação disso a verdade que eu defendo hoje nas igrejas, creio que a primeira opção traduz o que diz a profecia de Jeremias 6:16,17 que nos exortar à perguntar, consultar e escutar as sentinelas que Deus pôs tudo ao longo do caminho que conduz à salvação. Por isso, sempre advoguei que Deus só pode falar aos vivos por meio de um profeta vivendo no meio deles. Mas, nessa geração má e adúltera, os que se corrompem com falsos raciocínios baseados em interpretações particulares dizem: Não escutaremos! Hoje, eles não querem atentar pelas tabuletas que Deus colocou diante deles e pelo caminho por eles indicado: Não andaremos! Pelo que hoje, muitos são os que preferem voltar aos letreiros anteriores: seus pais espirituais e profetas que já dormem! E, ficam lá prostrados nos "assim tinha dito fulano ou sicrano" ao invés de progredir.
Mas, considerai isso: um letreiro só fala uma vez e jamais mudará a mensagem sobre ele inscrita. Se você não compreender a sinalética ou linguagem de Deus, mesmo se voltar ao pé desta tabuleta, ele não te servirá para grande coisa. Neste caso é necessário que apareça alguém para te interpretar a mensagem nela inscrita. É o que fazemos hoje: interpretar para os santos a linguagem de todos os profetas que nos antecederam até no dia de hoje. A linguagem desses profetas é que traduz a SINALÉTICA de Deus ao longo do caminho que conduz a salvação.
É como o código de trânsito: todos esses sinais traduz a sinalética ou linguagem do condutor cujo fim essencial é ajuda-lo à caminhar mesmo numa cidade desconhecida. O regulador do trânsito é um sinaleiro que interpreta para o condutor uma linguagem determinada. A má interpretação de um dos sinais, de um dos gestos do sinaleiro pode ser fatal na condução. É exactamente a mesma coisa que acontece na caminhada da salvação. A má interpretação da sinalética de Deus caracterizada pelos ministérios dos Seus profetas (sendo cada um deles uma tabuleta posto à um determinado lugar; um letreiro colocado à uma determinada esquina ou encruzilhado) pode ser fatal. Por isso foi dito que: "Nenhuma profecia das escrituras é de particular interpretação". Não parem diante dessas tabuletas ou letreiros! Entendem somente a mensagem que cada um deles traz consigo e avançam, rumo ao destino: o encontro com o Esposo que foi preparar lugares e que brevemente vem. E, se não atentar nas nossas palavras, tal como essas virgens loucas que foram expulsas da presença do Senhor e da sala de bodas; o Senhor trará sobre eles o mal, em consequência de ter substituído o Pensamento de Deus pelo próprio fruto dos pensamentos e das interpretações deles. Rejeitando assim as palavras de Deus pelo testemunho de Seus servos: essas sentinelas (atalaias) que Deus colocou ao longo do caminho para tocar das trombetas. Sim, no meio das veredas antigas, existe um bom caminho por onde andaram nossos pais (os profetas e apóstolos). Esse é o que conduz ao descanso das almas. Se estás perdido e que não compreende a sinalética de Deus, não volte atrás (como fizeram as virgens loucas na parábola de Jesus). PERGUNTA nas sentinelas de Deus e eles te indicaram o BOM CAMINHO.
Esse foi o testemunho de todos os profetas que nos antecederam. Eles falaram de nós, anunciando esta hora. E vocês não querem receber nem o testemunho deles, nem o nosso que falamos como eles, tendo recebido daquele que faz os dons, o mesmo Espírito que estava sobre eles e pelo qual eles disseram essas coisas, segundo a promessa de Is.59:21. Hoje ainda, muitos são os que sondam as escrituras e examinam as escrituras e palavras de seus pregadores preferidos. No entanto aqui está O MANÁ DO DIA, dado no tempo oportuno: a mensagem da restauração que o Espírito de Deus apregoa em nós. A honra é para os que crêem. Bem-aventurado aquele que não se escandalizar com esse discurso.
            Pois, é justamente este discurso que Deus colocou na nossa boca para vos revelar a graça que Deus fez de novo na terra. Logo, demo-nos conta disso ao ver o anel de diamante depois do eclipse total do sol (falo desta vez espiritualmente). Pelo que temos a certeza que brevemente, brilhará para o Seu verdadeiro povo a luz da Verdade, sem dogmas, nem credo e outros ritos produzidos pelas interpretações particulares de homens sem entendimento. E, essa graça de Deus manifesta na hora em que vivemos agora, não é a LUZ DA TARDE, mas sim O CLAMOR DA MEIA-NOITE! Alléluia! A CHAMADA DA MEIA-NOITE: aqui está A LUZ NO MEIO DA NOITE!!! (Is.60:1,2). Pois, se não houvesse esse clamor à meia-noite, esse povo todo (as virgens prudentes e as loucas) ficariam lá, todas adormecidas. Ora bem, sem a revelação o povo se corrompe; sem a revelação o povo anda sem travão, caminhando para a destruição mesmo cantando hinos, cânticos e louvores em honra do Glorioso Esposo. Não se esquecem de que a Escritura diz: todo joelho se dobrará diante dele e toda língua confessará que Ele é o Senhor. Quer do incrédulo, quer do crente. Pelo que não se deixem enganar pela aparência de culto. Não basta saber que Ele é o Esposo, convém fazer toda a Sua vontade; andar como Ele mesmo andou; enveredar pelo mesmo caminho por Ele seguido para chegar a glória prometida e reservada.