O SISTEMA ANTI-CRISTO:
VISTO À TRAVÉS AS SETE CARTAS – Apoc.2 e 3

A mensagem da Palavra do Cristo contida em cada uma dessas cartas nos revela:

  1. A gloria do Cristo: Ele é Aquele que tem na Sua dextra as sete estrelas, e que anda no meio dos sete castiçais de ouro. Ele é O Primeiro e O Último: O que foi morto, e reviveu. Aquele que tem a espada aguda de dois fios. O Filho de Deus, que tem Seus olhos como chama de fogo, e os pés semelhante ao latão reluzente. Ele é O que tem os sete Espíritos de Deus, e as sete estrelas. Ele é O Santo; O que é verdadeiro: Ele é ainda O que tem a chave de Daví; que abre, e ninguém fecha; que fecha, e ninguém abre. Ele é O Amem, a Testemunha Fiel e Verdadeira, O Princípio da criação de Deus.
  2. O louvor feito à verdadeira semente, que guarda até ao fim as obras de Deus;
  3. A existência de uma falsa semente que cria uma “tendência” ou seita dentro da Igreja.

Esta última coisa nos é revelada na repreensão feita pelo próprio Senhor às igrejas. E, é aqui onde opera o mistério da iniquidade ou do pecado, para a sedução e corrupção de toda carne que não tem discernimento do que o Espírito diz no nosso meio.
A presente pregação faz justamente um enquadramento deste aspecto, a fim de dar aos santos, esse discernimento necessário que lhes permitirá comprovar ou evidenciar uma denominação seduzida pelo espírito do erro, e reconhecer nos cultos organizados, o SISTEMA ANTI-CRISTO que ajunta as ovelhas sem Cristo. Vencendo assim a fé de muitos por causa do véu que encobre a acção do maligno e sua malícia nos meios da sedução, naquilo que é chamado “mistério do pecado”. Mas, como está escrito: “Porque nada há encoberto que não haja de revelar-se, nem oculto que não haja de saber-se” (Mat.10:26; Lc.8:17). Oxalá que Deus a través estas linhas nos dê o conhecimento necessário para iluminação do nosso entendimento, para que deixamos de ser meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrinas estranhas. Contudo, ao contrário do que muitos pregadores se limitam à fazer, não faço aqui uma ABORDAGEM HISTÓRICA dessas verdades, mas sim, tento actualizar os factos. Pois, ao contrário dos que encaram essas verdades como coisas do passado, a obra de Satanás mantém as mesmas características, até nesse fim dos tempos em que tudo está projectado e andam a sua total consumação.
Eis aqui as QUATRO ETAPAS da evolução do sistema anti-cristo desde a sua manifestação, até ao seu amadurecimento:

  1. AS OBRAS DE NICOLAITAS

 

Nos dias de Salomão, o filho de Davi segundo a carne, aconteceu que quando este conclui a obra da edificação do templo material, trouxe a arca para o templo e compareceu na presença de Deus afim de interceder para o povo. O fogo desceu do céu, e consumiu o holocausto e os sacrifícios. A glória do Senhor encheu a Sua Casa, caindo sobre os sacerdotes que estavam no santuário para ministrar (IICro.7:1,2). Esta coisa é uma alegoria ou ilustração para o tempo presente em que Jesus, o Filho de Davi, pelo Espírito da promessa, como Ministro do santuário, e do verdadeiro tabernáculo não feito pelas mãos de homens, atravessou, por sua vez o próprio céu para oferecer-se a Si mesmo, comparecendo para nós na face de Deus. Pelo que em sinal de aprovação, a glória de Deus encheu a casa onde estava reunido a Igreja de Jesus e, línguas repartidas, como que de fogo, pousaram-se sobre cada um deles (At.2:1-3). Foi, no quinquagésimo dia depois da Páscoa: o dia de pentecostes em que se ofereciam, segundo a lei, um novo sacrifício de manjares assim como o holocausto continuo para a expiação do povo.
Pelo que Cristo, cumprindo perfeitamente a lei para nós, tal como um cordeiro, foi imolado por nós sobre a terra, tornando-se assim a nossa Páscoa. E, assim como o sumo-sacerdote da antiga aliança, que entrava uma vez por ano no santuário para fazer a expiação, Jesus Cristo ofereceu UMA vez por toda, no altar divino, o Seu próprio sangue para expiação do pecado de muitos, pelo sacrifício continuo de Si mesmo. Este é o verdadeiro sentido de “pentecostes”! Pelo que Deus, O Pai, aceitando o sangue fiador da nova aliança, derramado por nós, O confirmou pelo Seu selo: O ESPÍRITO SANTO DA PROMESSA. Sua gloria que iria repousar sobre todos os que foram resgatados, afim de levar na perfeição aqueles que Lhe obedecem.
Esta era a missão definido do Espírito Santo: “Quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir. Ele Me GLORIFICARÁ, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar” (Jo.16:13,14).
Pelo que, Jesus Cristo foi nitidamente glorificado pelo Espírito Santo que acabava de descer sobre os discípulos reunidos naquele dia do começo, assim como o confirma a pregação de Pedro. Este é o verdadeiro sentido de Pentecostes: a festa do Cordeiro imolado. A partir daquele dia, todas as verdadeiras testemunhas de Jesus, falaram inspirado pelo Espírito Santo e edificaram a igreja na fé verdadeira e no conhecimento perfeito do Filho de Deus. Esses servos não falaram de si mesmo, mas deram testemunho do que ouviram e viram (At.4:20; Gal.1:11,12; 1Jo.1:1-4). Esposaram-nos à um ÚNICO marido, à saber Cristo; tomando o que é Dele para nós alimentar da esperança da nossa própria gloria. Quando virá, naquele dia, O DESEJADO das nações.
Entretanto, Satanás – o semeador do joio – introduziu na lavoura de Deus falsos obreiros, ministros da iniquidade, que se faziam passar por servos de Deus. Esses trouxeram consigo um “outro evangelho”, anunciando um “outro Jesus”. E, os que davam ouvidos neste “falso ensinamento”, abandonaram o seu primeiro amor, corromperam os seus sentidos e, apartando-se da simplicidade que está em Cristo, acabaram por receber um “outro espírito”: o de erro que transtorna a Verdade (2Cor.11:2-4).
Aqui está a primeira acção deste espírito enganador: AS OBRA DOS NICOLAITAS (do grego: NIKAO: conquistar e LAOS: Leigos). Quem conquista? Senão aquele que quer dominar e não servir. Que são os leigos? Senão os ignorantes, os que não tem experiência da Palavra de Deus; as crianças na fé. Essas tornaram-se presas fáceis nas mãos dos falsos ministros de Deus. Esses que “dizem ser apóstolos e não são”. A seu tempo, Paulo, o apóstolo dos gentios advertiu a igreja: “Porque eu sei isto, que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não perdoarão o rebanho; e que dentro vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para ATRAÍREM os discípulos após si(At.20:29,30).
Aqui estão as OBRAS DOS NICOLAITAS: Todas as vezes que Deus levanta servos para começar uma obra, Satanás envia também os seus ministros para transtornar a obra que Deus está à cumprir no meio do Seu povo, semeando o joio no meio do trigo. Isto aconteceu na primeira era, assim aconteceu também em todas as sucessivas eras. Com a partida dos servos que Deus utilizou para uma obra determinado, os homens maus, aproveitando-se de nomes e obras destes ministros de Deus, começaram à atraírem os leigos com um falso ensinamento do Evangelho, para no fim poder dominar sobre eles, num dogmatismo que nada tem à ver com o Evangelho da glória de Cristo. O mesmo, acontece também em cada país ou cidade, em cada igreja, etc. Aí, onde Deus começa uma obra… até no dia de hoje. Isto estabelece O PRIMEIRO PASSO na edificação do SISTEMA ANTI-CRISTO; quando o ESPÍRITO DO HOMEM COMEÇA A ASSUMIR A LIDERANÇA NO LUGAR DO ESPÍRITO SANTO e que, um homem nos é apresentado no lugar do Cristo. E, isso é só possível lá, onde as interpretações particulares geram mandamentos de homens (tradições, dogmas, ritos, credos, genealogias e fábulas profanas) que são ensinados no lugar da Palavra de Deus, pelos pregadores que a si mesmo tomam a dignidade de servir Deus, sem ser chamado por Ele. Apresentando-se como apóstolos, profetas, doutores, pastores, evangelistas... e fazendo com que os homens ADOREM EM VÃO nessas igrejas que se organizam sob uma liderança humana e carnal (Mat.15:8,9).
Assim foi, assim havia de ser; assim é... até no dia de hoje! A verdadeira igreja; os filhos da promessa vencem o anti-cristo, porque a Palavra de Deus está neles (1Jo.2:14b). À luz desta Palavra, eles examinam todos os que a si mesmo se dizem enviados ou “profetas” (pregadores) de Deus e os acham mentirosos, porque nenhuma mentira vem da verdade (At.17:11).
Alguém notou que todos esses homens maus, lobo cruéis e devoradores, fontanários sem águas, falatórios profanos e enganadores que ensinam heresias nas igrejas, se levantam no meio dos que receberam primeiramente a Verdade mas, que depois se desviaram da fé na MENSAGEM DA PALAVRA DE DEUS que lhes foi anunciada? Como está escrito: dentro vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas” e ainda: “Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam connosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todo de nós” (1Jo.1:19). Que são eles? Senão os muitos que se fizeram anticristos ou inimigos da Verdade que a unção do Espírito Santo nos ensina.
E como reconhecer os bons dos maus? Pela semente da Palavra (doutrina) que eles carreguem! Sendo ela, espiritual, original e eterna; ou então, terrena, adulterada e temporal, e que determina as obras, o labor e a perseverança ou paciência da igreja. Porque a vida desta igreja, muito depende do tipo de mensagem da Palavra recebida e aceite. Essa é a semente que gera uma determinada tipo de vida que anima um determinado grupo de crentes nas igrejas. Disse Jesus: “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus o selou” (Jo.6:25). É aqui onde diferenciamos a igreja que trabalha para a glória como a Maria de Betânia, daquela que, como a Marta, sua irmã, afadiga-se em muito trabalhos e se cansa pela vaidade (Lc.10:38-42). Aqui onde existe a diferença entre essa igreja que, como Jacó, atenta pela fé nas coisas invisíveis e nas promessas; daquela que como Esaú, se apaixona das coisas profanas e temporais (Gen.25:30-34). Onde uma igreja, à semelhança de Abel, se aproxima do altar pela fé na revelação do cordeiro – primogénito das suas ovelhas – imolado numa prefiguração do sacrifício perfeito do Corpo de Cristo; daquela que, como Caim, edifica formosos altares e edifícios bonitos, adorando entretanto em vão (Gen.4:3,4).
A comida que perece caracteriza evangelho materialista baseada no homem e nas coisas profanas, enquanto a comida que permanece para a vida eterna constitui o alimento no tempo oportuno, dado à comer aos homens pelo ministério do Filho do homem. O “Assim diz o Senhor Jesus” revelado no tempo marcado por Deus, pelo aquele enviado do Senhor – o servo fiel e prudente - que Deus selou para uma determinada obra. Em que consiste pois este selo de Deus? Senão o Espírito da promessa que anima aquele que “profetiza” e confirma o Conselho de Deus no tempo determinado (Is.46:11). Como está escrito: “Pois contra Jacó não vale encantamento, nem adivinhação contra Israel. Neste tempo e dirá de Jacó e de Israel: QUE COISA DEUS TEM OBRADO” (Nu.23:23).
“Eu sei as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência”, disse o Senhor Jesus – Apoc.2:2.
Disseram-Lhe pois: “Que faremos, para executarmos as obras de Deus”? Jesus respondeu, e disse-lhes: “A obra de Deus é esta: QUE CREIAIS NAQUELE QUE ELE ENVIOU” (Jo.6:28,29). Pois que? Os que recebem o enviado de Deus num tempo determinado, recebem o próprio Filho do homem (O Profeta – maior: Jesus Cristo) revelado no nosso meio pelo Espírito Santo. Esses se alimentam da palavra da promessa: a comida que subsiste para a vida eterna, que o enviado lhes dará, sendo ele o “homem do Seu conselho”, tendo o “selo” de Deus na sua geração: a justificação do Espírito que lhe anima a fim de executar a coisa que Deus tem obrado. É deste modo que são selados, por sua vez, todos os “filhos da promessa” que esperam primeiro em Cristo Jesus, nas suas respectivas gerações. Como está escrito: “Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa. O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus...” (Ef.1:13,14). Aqui está a esperança, a perseverança e a paciência dos santos! “Porque em esperança somos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, COM PACIÊNCIA O ESPERAMOS” (Rom.8:24,25). Assim a verdadeira Esposa, a virgem pura espera o dia do Noivo. Todo o resto das obras, trabalhos e paciência das igrejas, é esperança enganadora, assente em obras mortas (a esperança das coisa visíveis e perecíveis); fé e confiança depositadas em pessoas que já dormem.
Os bons são todos esses que foram anteriormente escolhidos por Deus, na Sua presciência. Aqueles que “comem e bebem na mesa do Cristo glorificado”. Quer dizer: os que estão em comunhão perfeita com a doutrina por Ele ensinada. A esses – e não à todos – Jesus Cristo se manifestou. E dele, receberam o mandato de pregar e testificar Aquele que é o Autor e Consumidor da fé para a salvação. Nisso reconhecemos os verdadeiros profetas de Deus.
Como está escrito: “A Este – Jesus –ressuscitou Deu ao terceiro dia, e fez que se manifestasse, não a todo o povo, ma às testemunhas que Deus antes ordenara; a nó, que comemos e bebemos juntamente com Ele, depois que ressuscitou dos mortos. E nos mandou pregar ao povo, e testificar que Ele é o que por Deus foi constituído Juiz dos vivos e dos mortos. A Este dão testemunho TODOS OS PROFETAS, de que todos os que nele crêem receberão o perdão do pecado pelo Seu nome (At.10:40-43). Aí daquele que confia no homem igual e num outro nome para se salvar e chegar na glória. Bem-aventurados aquele que confia em Deus e em Seu Cristo! Disto dão testemunho TODOS os profetas.
 Considerai isso: nenhum embaixador acrescenta suas próprias palavras (ou pensamentos) nas cartas que lhe credenciam junto de um país da sua missão diplomática. Tais somos, nós, os que fizemos função de EMBAIXADORES de Jesus Cristo – e não de um homem –, para RECONCILIAR O MUNDO COM DEUS. E não para levar os homens na idolatria, ensinando-os à ir após outros “salvadores”. Bem-aventurado aquele que não se escandalizar dessa pregação! Se não falarmos desta maneira, o povo nunca verá a alva e andará pela terra duramente oprimido e faminto, amaldiçoará ao Seu rei (Jesus) e ao Seu Deus e será arrastado para a escuridão (Is.8:20-22). Por isso, não me posso calar... até que sai a justiça duma Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Uma igreja preparada para se apresentar diante do glorioso Esposo no dia da Sua vinda, como uma virgem pura. Está é aquela que não é contaminada por nenhuma semente estrangeira. Quem pode suportar isso? Esse atestará o que dizemos da parte do Cristo.
Os maus, isto é, os que a si mesmos se recomendam como servos e profetas dentro das igrejas; estes não têm o selo de Deus. Por isso, não falam segundo o Espírito da profecia em confirmação da promessa de Deus no dia ou tempo determinado; mas sim, segundo uma interpretação particular da profecia que gera o falso ensinamento, que desvia a igreja da fé e da simplicidade que está em Cristo. É assim que começa a obra pela edificação do sistema anti-cristo no nosso meio: pelo um falso ensinamento baseado nas interpretações particulares. Não segundo o discurso do Espírito, mas sim segundo uma sabedoria carnal, terrena e diabólica, que traz todo tipo de perturbação e perversão na obra de Deus; feita com parcialidade e hipocrisia por homens movido pelo espírito de divisões, paixões impuras, revoltosos, conspiradores, invejosos e contenciosos. Homens que se gloriam fora da medida nos trabalhos alheios (de outros servos de Deus, pois); esses enganadores têm a piedade somente em aparências, mas na realidade, são pastores que a si mesmos se apascentam, nuvens sem água, levadas pelo vento de uma parte para outra. São estrelas errantes e vagabundas reservadas para as trevas. Vaidosos e soberbos, eles blasfemam as glórias e perecem na contradição de Coré que, ao seu tempo, contestava a autoridade de Moisés, querendo a si mesmo, fazer-se igual à ele. Afastai-vos de tais homens! Não procurem o Deus da paz onde há confusão, constantes divisões, contendas incessantes... O Espírito de Deus não trabalha desta maneira! (Tg.3:17).
Bem-aventurados os que não se deixam seduzir.

  1. A SINAGOGA DE SATANÁS

 

Disse Jesus: “Acautelai-vos do fermento dos fariseus – os que a si mesmos se diziam descendência de Abraão – que é a HIPOCRISIA.
Este falso ensinamento que interpreta particularmente a doutrina da revelação do Cristo, fora do contexto da Escritura inspirada por Deus, constitui também “o pouco de fermento que levanta toda a massa” e que, a primeira vista, parece inofensivo. Não foi assim que Satanás começou a sua obra no jardim de Éden, seduzindo a esposa do primeiro Adão? Quando os primeiros homens deram-se conta do engano, já estavam privados da glória e das promessas; e Satanás dominava sobre a herança do primeiro Adão. É assim também que o espírito anti-cristo começa a edificação do seu próprio sistema dentro igreja de Jesus: corrompendo os sentidos da esposa do segundo Adão com um pequeno dogma ou credo que, por começar, muda a Verdade de Deus em mentira, esse espírito que animam os obreiros fraudulentos e ministros do diabo conquista, atrai e seduz devagar e bem, os discípulos com esta “nova revelação” ou doutrina (2Cor.11:13-15). À seguir, os auto-proclamados servos (apóstolos, pastores, doutores, evangelistas ou profetas) que, na realidade, são mercenários, tomam o controlo da obra de Deus; impõem-se e dominam sobre o rebanho de Cristo por força e torpe ganância. Os leigos (inexperientes e ignorantes) são conquistados, cativados e domados pelo falso ensinamento. E, sendo incapazes de discernir a “blasfémia dos que se dizem judeus”, se sujeitam à esta forma de adoração que lhes afastam da esperança para a salvação que está em Cristo. Em que consiste a blasfémia? Senão em se fazer passar por “ungidos” de Deus quando na verdade não são. Pois, a unção verdadeira vem do Espírito, que é Deus falando no Seu homem. Quem recebe este homem recebe o próprio Deus (Mat.10:40).
Esses blasfemos e hereges, caluniam, perseguem, destruem, e por fim afastam os verdadeiros servos do bispado da igreja. Eles tornam-se poderosos e edificam a sua própria organização e sistema da adoração. Assim nasce uma nova religião. Assim se edifica uma nova igreja que se exalta orgulhosamente sobre a humilde Igreja de Jesus. Os néscios pensam tratar-se de uma verdadeira igreja, Jesus revela que isto não passa de uma sinagoga (quer dizer “assembleia”) de Satanás. Edificado dentro da igreja de Jesus, à partir de um falso ensinamento, um pequeno dogma, que foi crescendo e por fim, impôs-se como culto obrigatório. Isto foi o que aconteceu com a igreja católica romana à partir do concílio de Niceia! Quando os ensinamentos desse espírito anti-cristo deram pela primeira vez luz à primeira Sinagoga de Satanás que, como religião, se afastou do Santo Mandamento do Senhor, apesar de guardar todos os apelidos cristãos. Isto aconteceu em todas as idades intermediárias; e ISTO CONTINUA À ACONTECER TODOS OS DIAS NO NOSSO MEIO, COM O SURGIMENTO DE MUITAS DENOMINAÇÕES (as meretrizes) COM APELIDOS CRISTÃOS, MAS QUE NA REALIDADE, SÃO SINAGOGAS DE SATANÁS liderados por pastores, bishops ou archibishops, reverendos, excelência ou santidade, etc. Homens que se dizem servos do Senhor e não são. QUE O INTELIGENTE COMPREENDE E O SÁBIO GUARDA ESSAS COISAS!
Pois, ainda hoje e pelo mesmo espírito, tudo acontece como nos dias que revelaram A GRANDE PROSTITUTA de Apoc.17, ainda chamada Grande Babilónia, que se levantou na segunda era da igreja e assentou-se sobre muitas águas, representando povos, multidões, nações e línguas. Assim Satanás continua à operar contra toda a obra de Deus executada ao seu tempo. Não é esta mulher apelidada de “mãe das meretrizes e abominações” da terra? Que são pois as “meretrizes”? Senão todas essas “assembleias” (sinagogas) conduzidas por homens blasfemos que não foram expressamente chamados e comissionados por Deus, mas sim que se gloriam nos trabalho dos outros. Homens soberbos e arrogantes, edificando por dogmatismo sobre fundamentos alheios. Testemunhando contra os enviados de Deus que começaram essas obras de que hoje se reclamam abusivamente: herdeiros, sucessores ou seguidores, eles fazem vida cara aos fiéis servos que Deus estabeleceu para dar sustento ao Seu povo no tempo oportuno.
Não está escrito que os moradores da terra se embebedaram com o vinho da prostituição da Grande Babilónia? O que representa isso? Senão o falso estimulo ou euforia produzida pela fé nas fábulas baseadas em coisas agradáveis e outras mentiras que repousam sobre genealogias sem fim e outros mitos que envolvem os cultos de personalidades, estabelecidos dentro das igrejas em honra de homens de sua preferência. Euforia ou júbilo desses que corromperam os seus sentidos, e que se levantam tal como os gritos de Israel no deserto, no dia em que adoraram o “bezerro de ouro” e se levantaram a folgar. Hoje ainda, os que como Moisés e Josué estão na presença de Deus, ouvem o alarido dos que cantam. Alarido dos vencedores ou dos vencidos? Misericórdia divina! Jesus cedo vem! E, a obra de cada um se manifestará e aquele dia o declarará. Não vos lembreis que o nome dessa mulher que está assentada sobre a besta é: Mistério? De que mistério se trata aqui? Senão o da iniquidade, que o Espírito do Senhor sobre mim denuncia hoje e que já opera entre nós, os que adoramos neste fim dos séculos. Oxalá que falando assim, alguns possam escapar do engano. Mas, se somos olhados como enganadores, à quem pois se manifestou o braço do Senhor? Afastai-vos destas sinagogas de Satanás. É “Assim diz o Senhor”! Tornei-me também inimigo vosso, dizendo-vos a verdade?

  1. O TRONO DE SATANÁS, A DOUTRINA DE BALAÃO e A DOUTRINA DOS NICOLAITAS

 

    1. O TRONO DE SATANÁS

Para melhor entender o que se passa na igreja à seguir, vejamos o que aconteceu no começo: a serpente antiga surge no jardim de Éden, com um falso ensinamento; uma “pequena coisa” aparentemente inofensiva. A Eva não discerne o mistério do pecado que opera por meio deste ensinamento, que lhes afasta da presença e da glória de Deus. Dela (Eva) surge dois altares: o de Caim e o de Abel. A religião de Caim, apesar da aparência da piedade é uma sinagoga de Satanás - “o pecado jaze à porta e para ti será o seu desejo (Gen.4:7). Essa semente procedente do maligno (1Jo.3:12) que, no princípio parece dedicar um culto à Deus, e logo depois, começa a perseguição contra a verdadeira adoração. É isso que faz Caim: ele mata o santo, rejeita completamente toda a doutrina de Deus e sai da Sua presença; se multiplica sobre a terra e edifica grandes cidades; se engrandece e domina a terra. É exactamente a mesma coisa que o espírito anti-cristo que animava esse filho da perdição faz também na igreja, onde os que se deixam seduzir pelo “outro” evangelho, se organizam numa grande assembleia: “a sinagoga do Satanás” que persegue os filhos da promessa e blasfema os caminhos do Senhor. Esta organização cresce e engrandece e, impõe a sua própria religião e doutrina no mundo. O sistema anti-cristo é coroado.
Não é Satanás, o príncipe coroado deste mundo? Todos os reinos da terra e suas glórias lhe pertencem: “Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória, porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero. Portanto, e tu me adorares, tudo será teu”. (Lc.4:5,6). Mas, Jesus, Ungido de Deus resistiu à essa tentação. Assim resistem também, todos os que são animados (ungidos) pelo Seu Espírito em todas as gerações. Os obreiros fraudulentos animados pelo espírito anti-cristo e, que a si mesmos se recomendam, conquistam e dominam sobre o rebanho, não resistem nesta. Mercenários em busca de própria gloria, eles querem se saciar de todo o ouro do mundo, de poder e fama. E para chegar até lá… que tal firmar uma aliança com o poder profano do mundo para fortalecer sua própria autoridade? Aqui está o trono de Satanás estabelecido na igreja. Foi isso que aconteceu na Roma antiga, quando a política religiosa praticada pela essa falsa igreja – a sinagoga de Satanás – se transformou em religião do Império. Satanás podia assim exercer literalmente seu domínio sobre a igreja – assim como no mundo - para destruir todos os que negavam e rejeitavam a sua doutrina. A hierarquia anti-bíblica que começou com as obras de nicolaitas se fortificou sobremodo, com o bispo de Roma à tornar-se Papa ou Sumo pontífice, isto é O CHEFE DA IGREJA UNIVERSAL. Juntando nas suas mãos, o poder profano do mundo (esta dignidade de GRANDE PONTIFICE pertencia aos imperadores romanos), e a autoridade usurpada de Cristo (ele passou à ser a cabeça da Igreja). O FALSO PROFETA passa à receber glória e honra dos homens e dos adoradores. Ele REINA sobre os homens, ao invés de SERVIR como Cristo o ensinou. Um reinado de terror, pela violência e matança de todos os que não se sujeitavam as suas mentiras, tal como o registou a triste história da humanidade.
Se naquela altura, esse casamento entre a RELIGIÃO e o ESTADO deu luz à primeira IGREJA ou RELIGIÃO DE ESTADO; hoje nesta última hora, temos porém MUITAS IGREJAS DE ESTADO que se assumem como parceiras de governos mundanos. Lutam para firmar aliança com eles, e tudo fazem para agradar à “César”, em busca de alguma beneficência. Aqui está a luta dessas igrejas que se enquadra na Religião do Estado, e sai lideradas também por homens que recebem glória dos homens e dos adoradores (Meditar Mat.23:2 à 12, etc.)
Hoje, essas denominações cristãs, em verdadeiras meretrizes espirituais, se levantam todas elas, segundo o modelo da igreja-mãe: a grande prostituta. Caindo na tentação do poder financeira e material, em busca de influência no mundo político ou na sociedade, essas igrejas se distraem – tal como a Marta – em sonhos de grandes realizações, programas cada vez mais ambiciosos para se afirmar aos olhos do mundo. Ligadas pelas alianças que fizeram com os governos desse mundo, e tal uma casada preocupada em agradar à seu marido, essas organizações religiosas buscam doravante a legalização e legitimação dos homens do que agradar à Deus (1Cor.7:34). Entretanto a Escritura afirma: “Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo” (Gal.1:10).Aqui está a adoração de Satanás à quem pertence os reinos do mundo e a glória deles: o CULTO DO DIABO que doravante tem o seu TRONO dentro da igreja organizada e institucionalizada. Hoje com o advento da nova ordem religiosa mundial, Satanás reforçou sua posição, juntando num sistema organizada, debaixo do seu jugo, todas as igrejas institucionalizadas no seio do Conselho Mundial das Igrejas Cristãs, liderado não por Cristo, mas sim por um homem que preside os seus destinos. O que significa isso? Que o grande IMPERIO PROTESTANTE que junta as igrejas reformadas, evangélicas e congregacionais, se edificou também numa poderosa organização, pelo ecumenismo. E, tal qual o IMPERIO CATÓLICO ROMANO, expulsou Jesus da liderança, e elegeu um príncipe mundano (o presidente do Conselho) como vigário do Filho de Deus. Aqui está a IMAGEM DA BESTA revelada nas escrituras em Apoc.13.
Se ontem, o IMPÉRIO CATÓLICO ROMANO, a organização-mãe, persegui todos os que rejeitavam a sua doutrina e os sujeitaram pela força com ajuda dos governos mundanos; hoje também, a segunda organização (o IMPÉRIO PROTESTANTE) persegue por sua vez, todos aqueles que não se identificam com seus próprios cultos, com a mesma cumplicidade do Estado. Recorrendo para o efeito, à um duvidoso processo de legalização das igrejas, que nega a liberdade do culto à todos esses que não fazem parte do “Conselho ecuménico das igrejas cristãs”. Em todas essas denominações que se dizem cristãs, pastores dominam e chantageiam as ovelhas que, só permanecem nessas instituições, por temer alguns castigos ou “represálias” espirituais ou espiritistas. Tais como: a maldição, doenças, exclusão, e até… morte! Os meios de actuação são diferentes, mas o espírito é o mesmo: o do Anti-cristo que não concede liberdade à ninguém. Liberdade que só se encontram lá onde opera o Espírito de Deus (2Cor.3:17).
E, a Palavra do Senhor me foi dirigida assim: “Eis que TODA a carne corrompeu o seu caminho na terra! E, uma segunda vez: “Porque Cristo não virá sem que venha primeiramente a apostasia”.
Bem-aventurado os que não se deixam seduzir!

 

  1. A DOUTRINA DE BALAÃO

Espero que o eleito esteja à entender agora o que está à acontecer no nosso meio! O joio está à crescer agora abundantemente. O Sistema Anti-Cristo está à fortalecer-se. Ora bem, para que tal acontece, é preciso dinheiro… muito dinheiro! Porque, um império que se edifica sem uma poderosa estrutura financeira, acaba por falir. O exemplo do que aconteceu com a antiga URSS não me deixa mentir!
Está escrito: “Ninguém pode servir à dois senhores; porque ou há-de odiar um e amar o outro, ou se dedicará à um e desprezará o outro” (Mat.6:24). É o que acontece: a igreja vencida pelo falso sistema de adoração, despreza o Senhor para servir à Mamom (do grego: riquezas); aborrece o verdadeiro Evangelho que ensina a piedade com o contentamento (1Tim.6:6-10), e dedica-se à caça ao dinheiro. Aqui triunfa o mercenarismo (Jo.10:12,13), e consequentemente o materialismo que afasta a igreja do Deus vivo, da sua verdadeira vocação. O mercenarismo evidenciado pelos obreiros enganadores que se fazem passar por ministros de Cristo, revela agora dois coisas:
- Na sua actuação: o “NACIONALISMO” desses profetas do mundo que seduzem os mundanos (1Jo.4:5). Surgem pregadores com discursos políticos no altar. Discurso baseado na sabedoria humana, visando à agradar as necessidades da carne e não da alma, numa verdadeira interpretação das vontades expressas pelos reis e príncipes do século presente e não de Deus;
- Na sua motivação: o “PROFISSIONALISMO” de todos esses que, subornado por um salário, corrompe o seu coração e o seu caminho (Ecl.7:7; Ex.23:8; Deut.16:19; 1Sam.8:3, etc.). Não é a mesma coisa que Balaão fez para agradar ao rei Balaque de quem recebeu prémios encantadores (Nu.22)? O Senhor Jesus viu a mesma coisa acontecer dentro da igreja e chamou isso de “doutrina de Balaão”. Não profetizou Balaão, alguma coisa exacta por algum tempo? Isso era suficiente para um homem carnal em mal de discernimento se deixar seduzir, pesando tratar-se de um verdadeiro profeta. Mas as escrituras nos revelam que Balaão era um adivinho que se fazia passar por profeta (Js.13:22).
Hoje também, nas nossas igrejas, o dinheiro passou à ser o objecto central de cultos e ensinamentos. Acautelai-vos disso! O evangelho da “prosperidade”, “bênção” e… temas semelhantes. Aqui está a DOUTRINA DE BALÃAO.
“O que foi é o que há-de ser, e o que se fez se tornará à fazer. De modo que não há nada de novo debaixo dos céus…” (Ecl.1:9-11;3:15)

 

3.3. A DOUTRINA DOS NICOLAITAS

Disse Jesus: “Muitos me dirão naquele dia: não profetizámos nós e em teu nome fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci...” (Mat.7:22,23). Que são esses que profetizam nas igrejas e que o Senhor nunca conheceu? Senão os que a si mesmos se recomendam, como o sublinhamos acima. ”Na verdade, na verdade vos digo que aquele que não entra pela porta no curral das ovelhas, mas sobe por outra parte, é ladrão e salteador”. A honra é para os que compreendem esta parábola – (Jo.10:1-5)!Tudo começou, no princípio, com a “blasfémia” dos que se faziam passar por “ungidos” de Deus e se auto-proclamavam ministros de Cristo. Esses falsos mestres, começaram à introduzir encobertamente, heresias de perdição que blasfemaram o caminho da verdade e o bom Nome do Senhor (2Pe.2). Livrando-se por avareza a um verdadeiro negócio de almas, ATRAÍRAM NAS SUAS DISSOLUÇÕES MUITOS DISCÍPULOS com palavras fingidas; e por fim tornaram-se poderosos ao ponto de edificar a sua própria organização dentro da igreja. O que no começo eram “obras dos nicolaitas” transformou-se numa doutrina. Quer dizer, doravante, o sistema de adoração é organizado e liderado pelo espírito humano e seu pensamento. O bispado da igreja é à partir de agora assumido abertamente por pessoas que não entraram pela PORTA das ovelhas no curral. Cristo sendo a porta das ovelhas, é Ele que chama e estabelece os Seus próprios servos dentro da Sua Igreja; segundo a Sua escolha e bel-prazer. Mas, agora, a igreja tirou-Lhe esse privilégio ou direito. O mercenárismo e o consequente mercantilismo (esse negócio feito em nome de Jesus) assumiram declaradamente a direcção da igreja.
E, ao exemplo da Babilónia, a Grande Prostituta, todas essas denominações organizadas segundo o sistema anti-cristo edificaram escolas de teologia, seminários e institutos bíblicos, escolas de profetas ou de ministérios… onde esses mercenários são preparados, não segundo o Conselho de Deus (Ef.4:10-16), mas sim segundo conselhos humanos para assumir a liderança dessas “sinagogas de Satanás”. Esses são os ladrões e salteadores, vestidos em pele de ovelhas e que não vieram, senão para roubar, matar e destruir. É nisso que reconhecemos as MERETRIZES. Essas filhas da grande Babilónia, que se dizem igrejas de reavivamento e não são, mas que na realidade estão cheias de nomes de blasfémia, ao exemplo da mãe que as gerou. E como ela, se livram na mesma prostituição espiritual; praticando as mesma abominações e imundícies que transtornam o caminho da verdade e ultrajam o Nome do Senhor no meio da nações. E, eu do Senhor ouvi isso: “Eis que toda a carne corrompeu o seu caminho na terra”!
 Bem-aventurado os que não se deixam levar nessas dissoluções e vencem o engano!
Suportai um pouco de loucura da minha parte! Pois, ainda que falamos assim, esperamos de vós os frutos dignos de arrependimento.
Para compreender melhor essas coisas tocando a doutrina dos nicolaitas temos, no antigo testamento, uma ilustração perfeita da casa de Jeroboão o do seu culto (1R.12:26-32; 13:33,34). Digo-vos, na verdade que: essas coisas nos foram feitas em figuras e servem, para nossa instrução, à identificar o sistema ou organização anti-cristo estabelecido no nosso meio. Tal como se levantou Samaria em Israel, em detrimento de Jerusalém. Digo isso, para que saibais que Deus não é revelado na multidão (a figura de dez tribo e meia que se juntaram no jugo de Samaria), mas sim no Seu “pequeno rebanho” (ilustrado aqui pela uma tribo e meia que permaneceram fiel a Jerusalém e a Casa de Davi). Pois que? “ACONTECE O QUE ACONTECER, PERMANECEM NO FUNDAMENTO ORIGINAL”. É “ASSIM DIZ O SENHOR”! À intenção de todos aqueles à quem Deus quer bem nesse fim de tempos! Que a Igreja do Cristo, o Deus vivo, guarda o modelo da sã doutrina que nos foi transmitida desde o princípio (1Jo.1:1-4). Esse é o bom caminho que, pelas veredas antigas, nos conduz ao descanso das nossas almas (Jer.6:16).

      1. JEZABEL, A FALSA PROFETISA E AS PROFUNDEZAS DE SATANÁS

 

Não era Jezabel uma princesa pagã que fez aliança com a Casa de Deus (Israel), pelo casamento com o Rei Acabe? Aqui está a aliança com o mal, que serve de laço e tropeço para o povo de Deus. Foi assim que nos dias de Noé, os filhos de Deus corromperam o seu caminho: ATIRANDO-SE AS FILHAS DOS HOMENS. E Deus retirou deles o Seu Espírito (Gen.6:2,3).
 Se uma aliança carnal teve esse desfecho, quantas maiores as consequências, quando se tratar de uma aliança espiritual? Aqui está a armadilha, o laço, que fez tropeçar e pecar a igreja.
No princípio, a Palavra estava com Deus. Ela sai de Deus e foi dirigida ao homem. À Éden, Adão foi o portador desta Palavra; como “profeta” de Deus. Até no dia em que surgiu a Serpente e seduziu à Eva com um falso ensinamento (uma interpretação da Palavra não conforme ao Original). O que foi que aconteceu depois disso? A MULHER PÔS-SE À PROFETIZAR, E ADÃO O SERVO DE DEUS CONSENTIU (aqui está a tolerância) QUE EVA, A “PROFETISA” LHE ENSINE A “NOVA DOUTRINA”. Foi assim que ele se prostitui. Foi assim que a raça humana, ora vivendo em comunhão perfeito com o Deus verdadeiro, corrompeu o seu caminho, foi expulso do jardim e mergulhou nas trevas exteriores. Pois que? O COMPROMISSO feita com a Palavra de Deus à partir do ensinamento da mulher levou a raça humana NAS PROFUNDEZAS DE SATANÁS.
Por isso está escrito: “Não é permitido à mulher ensinar, nem usar de autoridade sobre o marido”. NÃO SE TRATA AQUI DE UMA TEORIA PAULINA; DE UMA INVENÇÃO DO APOSTOLO PAULO – como afirmam todos esses que se deixaram seduzir pelo espírito do erro –, MAS SIM DE UM MANDAMENTO DO SENHOR (1Cor.14:34-38; 1Tim.2:11-15). Assim o determina a lei, desde o jardim do Éden (Gen.3:16). Julgai disso, ó pastores, vós à quem foram confiados o cuidado do rebanho do Senhor! Considerai o que vos digo também hoje, ó, vós que tolerai que as mulheres preguem, dirigem cultos, interpretem nos altares das igrejas… porque Deus vos dará entendimento em tudo. Porque, quem ignorar esse mandamento será também ignorado. Assim está escrito; assim Deus fará! Procurai com zelo o dom de profecia, e o próprio Senhor vos revelará essas coisas. Deus não faz acepção. Ele agrada à todo homem, em qualquer nação, que deseja intensamente conhecer à Sua vontade. Mas ainda, Ele não levou em conta os tempos da ignorância, porquanto estabeleceu um dia para a RESTAURAÇÃO DE TODAS AS COISAS, no qual falamos hoje desta maneira, para que a Igreja se arrepende dos seus maus caminhos e endireita as veredas do Senhor.
 Vejamos mais uma coisa: Abraão foi visitado por Deus, e a promessa lhe foi feita: “Sara terá um filho, e nele te será nomeado uma posteridade”. Aqui está a fé verdadeira: a que vem pelo ouvir a mensagem da Palavra de Deus. A esperança que não engana. Mas, um dia, como a promessa tardava em cumprir-se, Satanás atacou-se de novo ao conselho de Deus, introduzindo um pensamento contrário ao pensamento de Deus. ABRAÃO TOLEROU QUE SARA, A SUA MULHER, PROFETIZASSE. O ensinamento da mulher baseava-se numa interpretação particular (e falsa) da profecia divina. Esta é a FALSA PROFECIA que deu luz à Ismael, ilustrando aqui: a raça de falsos adoradores. Dessa falsa semente se levantaria uma grande nação que, contudo, não poderia herdar as promessas junto com a verdadeira semente representada por Isaque.
Temos deste modo, aqui, duas figuras que nos ajudam à entender o que se segue, quando a igreja – que é o tipo da mulher – do segundo Adão, começa à ensinar (profetizar) e seduzir os servos e filhos de Deus com uma falsa mensagem, fruto de interpretação particular da palavra profética que saiu da boca de Deus. Aqui está “Jezabel, a falsa profetisa”. A FÉ NA “REVELAÇÃO DA IGREJA” (o “assim diz a igreja”) EM DETRIMENTO DA “REVELAÇÃO DO CRISTO” (o “Assim diz o Senhor”) FAZ TROPEÇAR O POVO DE DEUS E MERGULHA OS CRENTES EM DENSAS TREVAS ESPIRITUAIS CARACTERIZADAS PELA IDOLATRIA E PROSTITUIÇÃO ESPIRITUAL. É o que o Senhor descreve como “as profundezas de Satanás”.
Aconteceu uma vez com a primeira igreja de Roma que substitui “os mandamentos de Deus” pelos “mandamentos da igreja”. Acontece hoje com todas as denominações (as pequenas Jezabel) que ensinam as suas próprias doutrinas baseadas em interpretações particulares daquilo que eles encaram como verdade. Daí nasce os dogmas, ritos e outros credos.
Este é o mistério da JEZABEL, a mulher prostituta (trata-se aqui obviamente de uma prostituição espiritual) que se diz profetisa (isto é mensageira da Palavra de Deus) e engana os servos que comungam nesses cultos, com falsos ensinamentos adquiridos em seminários bíblicos, e outras escolas de género. Esses tipos de ensinamentos, não podem de modo nenhum produzir um verdadeiro ministro ou profeta de Deus, mas apenas, “ministros de igrejas” que pregam e defendem os dogmas das suas respectivas denominações; assim como os pensamentos do seus “mestres” e “pais” espirituais. É ASSIM QUE OS SERVOS DE DEUS SÃO SEDUZIDOS E LEVADOS À PROSTITUIR-SE ESPIRITUALMENTE PELOS ENSINAMENTOS DAS SUAS RESPECTIVAS IGREJAS (Apoc.3:20,21).
É por isso que o Senhor Jesus faz à seguir (no versículo 22) menção “aos que adulteram com ela (Jezabel). Isto significa que o mistério do pecado ou da iniquidade opera realmente no meio das meretrizes, e contamina à muitos. Temos portanto hoje, igrejas que andam ao som de falsas revelações e interpretações particulares da palavra de Deus. O que lhes levam à se prostituir com outros “deuses”: esses são homens elevados nessa dignidade por meio de “cultos de personalidade” que conduzem determinadas denominações à venerar, idolatrar ou adorar seus próprios líderes (pastores, profetas, bispos, etc.), considerados nas suas respectivas organizações como: interprete infalíveis da Bíblia, porta-voz ou boca de Deus, etc. Mortos ou vivos. Assim como a igreja católica continua à venerar seus “santos” mortos.

    1. A MARCA DA BESTA

 

Sim, seduzidas pela doutrina de um suposto “vigário” do Cristo, o Filho de Deus, muitas igrejas caíram na idolatria sem se aperceber de nada. Esse engano triunfou de muitos movimentos religiosos que, ocupado em “acusar” os outros de apóstatas, nem sequer deram-se conta que estavam muito mais perto de receber o SINAL DA BESTA do que nunca. Um caso flagrante é o que acontece com os nossos irmãos adventistas do sétimo dia: eles se esforçam à persuadir os homens que o sinal da besta é a adoração do domingo. Não pode ser! Pois a profecia diz expressamente que: a besta é um homem, o seu número também é numero de um homem (Apoc.13:18). E esse homem é um suposto vigário do Cristo. O que literalmente significa: “aquele que toma o Seu lugar” na cabeça da igreja.
Eis o que digo, hoje, pela Palavra do Senhor: o sinal da besta se reconhece em toda parte, onde os homens adoram num SISTEMA ORGANIZADO. Aqui está o sistema do anti-cristo. Baseado, não no modelo das palavras de Cristo, mas sim nas palavras, preceitos e mandamentos das igrejas. É isso que faz a Grande Prostituta, a organização da Besta. É isso que ela ensinou as outras igrejas do mundo à fazer: rejeitar a liderança do Cristo e da Sua Palavra, e aceitar a autoridade de um VIGÁRIO que reina sobre o sistema. Exactamente como no dia em que Israel rejeitou Samuel, o profeta de Deus e se escolheu um rei. ESTE É A MARCA DA BESTA: UM HOMEM QUE REINA SOBRE A IGREJA NO LUGAR DO CRISTO! Quem tem ouvidos ouça!
O “Vicarius Filii Dei”, sendo um anti-cristo, hoje porém, temos muitos que se fizeram anticristos (1Jo.2:18). Isto quer dizer o que? Que muitas denominações são actualmente lideradas por muitos “filhos da perdição” que, tal como aconteceu pelo passado com Caim e Judas Iscariotes, não só se esconde em pele de adoradores, como também tem parte no ministério da Palavra e são contados entre os profetas de Deus (Gen.4:3; Act.1:17). Eles apregoam, lideram e arrastam, hoje, multidões na rebelião contra a lei de Deus e o mandamento do Cristo. Aqui está o espírito do erro que opera nos filhos da rebelião e caracteriza o “mistério” do pecado. “Mistério” porque trata-se de um espírito em acção, agindo encobertamente. O que dificulta o discernimento espiritual para muitos, principalmente neste último tempo.

 

4.2. OS SACRIFÍCIOS DA IDOLATRIA

O animal sacrificado sobre o altar na antiga aliança é uma representação do “Sacrifício do Cristo”, esse Cordeiro imolado para nossos pecados, no culto do Deus vivo. Esta é a doutrina da salvação que alimenta a fé dos verdadeiros adoradores. Agora, quando o Senhor fala de sacrifícios da idolatria” que comem os que se prostituem com a Jezabel, Ele se refere às falsas doutrinas (porque são muitos sacrifícios) que alimentam a fé dos falsos adoradores que se deixaram seduzir pelo engano do pecado, agindo pelo mistério da Jezabel, nesses cultos que são dedicados, não à Deus, mas sim à personalidades que não representa à Divindade única, revelada em Cristo Jesus.
E quando a Palavra é tirada do Seu lugar, nos altares dos santuários, A LUZ SE APAGA E AS IGREJAS ANDANDO COMO CEGAS, MERGULHAM NAS PROFUDENZAS DE SATANÁS (Sal.119:105).
Oxalá que, falando eu assim, os santos entendem essas coisas e se libertam do engano. Se Deus, no tempo do rei Acabe, apesar de toda a malícia de Jezabel, reservou para Si, sete mil homens que não dobraram os joelhos diante de Baal; mas antes, resistiram contra a idolatria e a apostasia generalizada daquela época, regozijo-me em saber que mesmo nesses tempos trabalhosos que caracterizam o fim das eras em que vivemos, o fundamento de Deus permanece firme. Os que são de Deus se apartarão da iniquidade. Para eles, tudo sofremos e não perdemos coragem diante do contraditor e inquiridor deste século. As ovelhas conhecem a voz do Bom Pastor que clama por nós. Ao ouvi-la, eles fugirão dos estranhos. Amem! Aqui está a minha luta; aqui está a minha esperança!