A TRINDADE : UMA FALSA DOUTRINA!

            Lembro-me perfeitamente que foi na época em que acabava de receber a chamada para a obra do ministério... um amigo pregador me tinha emprestado um livro de B. Graham intitulado: “Un Esprit qui rend fort, aimant et réfléclil” (traduzido literalemente em : “Um Esprito que torna forte, amavel e sensato”. Li uma coisa que me perturbou bastante. O Autor afirmava: “É de um comum acordo que Deus Pai; Deus Filho e Deus Espirito Santo criaram o mundo. É extremamente importante que cada cristão compreende e aceite este facto no ponto de vista teológico e prático”.                                                             Algo em mim revoltou-se contra essa afirmação fortuita. Cristão? Sempre o quis ser e permanecer da melhor maneira possível, desde o dia em que desprezei a sabedoria humana para ganhar o conhecimento de Jesus Cristo, meu Senhor e Salvador. Mas, compreender e aceitar do ponto de vista teológico e prática, a doutrina da trindade... não somente era algo forçado para mim, mas também, bem me parecia do domínio da ficção.                                                Como por natureza gosto muito de ler, tomei conhecimento destas duas tendências sobre a divindade que opunham os TRINITARIOS aos UNITARIOS. Mas, tendo em conta que na época não me tinha ainda convertido, era pois normal que de pensar que essas coisas não me diziam respeito, à mim. E quando mais tarde me verti ao Senhor, engajei-me à não me conformar à nada, nem dar crédito à nenhum pregador cujo testemunho não esteja de acordo com a Palavra de Deus, segundo as Escrituras. Isso foi determinante para mim; tendo em conta a dispensação da graça que me foi feita para a obra do ministério. Visto que muito antes de receber o conhecimento perfeito do testemunho que Ele me tinha dado para Sua Igreja, Ele visitou-me numa visão da noite: estive deitado no meu colchão, não sabendo bem se dormia ou não, quando senti primeiro algo prender e mexer vigorosamente a minha língua, e logo depois recebi um caloroso aperto de mão, antes de ouvir distintamente essas palavras da Presença Invisivel que estava diante de mim: “Isto não é um contrato, mas sim um engajamento “. E recomendou-me antes de se ir embora na leitura de 2Cr. 15:12.
Desde então, esforço-me de ensinar essas coisas do Evangelho tal como me foram transmitidas neste dia, sem procurar agradar à homem; como também, evitando de provocar intencionalmente contendas e divisões dentro da Igreja com os meus ensinamentos. Respeito a convicção de cada servo de Deus, sobre um sujeito que nos contrarie. Está escrito: “que cada um cuide de maneira em que esta à edificar sobre o fundamento”. Este que foi posto pelos apóstolos. Pois, cada um comparecerá por si nesmo diante do tribunal do Grande Pastor e Juízo (1Cor.3:10-15). Quanto à mim, Ele permanece a minha referência obrigatória em tudo quanto falo, Não assinei um contrato como mercenário para ganhar minha vida pelo tráfico do Evangelho, mas sim, engajei-me à entregar a minha própria vida para o Evangelho. O que farei com certeza!                                                                                                             Pelo que, aquele dia... quando li essa afirmação de B. Graham e contrariamente ao que ele presumia, eu não entendi, como também, não ACEITEI este ensinamento por causa da sua ambiguidade. Faltou-me a convicção; algo em mim... alguém comprende isso? Foi como quem diria, uma coisa involuntária. Eu não reagia assim por conhecer a verdade na época. De jeito nenhum! Eu negava simplesmente de crer, pois algo em mim testemunhava que este ensinamento era falso!                                                        Preocupado, procurei a face do Senhor para que me revelasse Seu pensamento à propósito. A resposta à minha oração me foi dada uma tarde dentro dum taxi que me trazia de volta para casa: “4 triidade é uma falsa doutrha. Existe apenas Um SÓ Deus, o Pai de todos. O Deus Filho não existe, mas sim o Filho de Deus: Jesus Cristo. De mesmo modo que não existe um Deus Espírito Santo, mas sim o Espírito Santo que é o Espírito de Deus. Sua força e presença agindo em nós”.                                                                       Mais tarde, a vida cristã nas comunidades pentecostais onde me congregava tomou- se tão monótono que acabei por perder o gozo espiritual dos primeiros dias. Aborrecido até na alma, por causa das abominações que se cometiam em meu redor, comecei à percorrer todas as comunidades por mim conhecidas até então, em busca de alguma consolação para minha alma aflita, Sem sucesso. Em qualquer sitio que chegava, constatava a frieza e a hipocrisia desses ajuntamentos. Aborrecia-me, não somente à organização destes cultos, mas também e sobretudo a forma da piedade em aparência: a gente não vivia a fé que confessava. Indignei-me bastante de que não havia justiça, nem rectidão. E, como não podia regressar nas grandes Instituições religiosas de onde saí, decidi de afastar-me de todo ajuntamento dos “cristãos” e de esperar em silêncio até que o Senhor me revelasse a Sua perfeita vontade. Ele que me tinha confiado um ministério de justiça neste último tempo; tendo-me – já na época – claramente revelado que me tinha escolhido afim de preparar Sua esposa no arrebatamento que esta próxima.                                                                  Foi então que o Senhor me desvendou Seu Conselho e a obra por Ele levada acabo nesta derradeira era da Igreja, que caracteriza (o último tempo em que vivemos).                                                                                            Para falar ainda da trindade, creio no que me diz respeito que esta doutrina que não tem nenhum fundamento na Bíblia (mas sim nas interpretações particulares), não pode “em princípio” fazer objecto de nenhuma polémica no seio da verdadeira Igreja do Deus vivo; a santa congregação dos escolhidos. E por causa? É uma INVENÇÃO DA IGREJA DE ROMA que viu à luz no concílio de Niceia no ano 325 (como o confirma também alguns historiadores que não precisaram ser animados pelo Espírito Santo para “constatar” o que é em soma: UM FACTO VIVIDO!). Foi na idade de Pérgamo, ou a idade das trevas, para a dispensação da igreja que a coisa aconteceu. Quando a Palavra de Deus foi sepultada debaixo da montanha de dogmas, ritos e credo pagãos.       
         Ora, o balaãmismo da Igreja de Roma apoiado pelo poder político e a potência material do Estado (Balaque em tipo), colocou uma pedra de tropeço diante dos adoradores, como para Israel, afim de lhes levar na idolatria do politeísmo inspirado pelo paganismo romano (Apoc.2:14). O concílio de Niceia deitou assim o fundamento da IDOLATRIA na Igreja do Cristo, por intermédio desta doutrina duvidosa que divide a divindade única em três. De mesmo que os romanos fundamentavam sua fé numa divindade trina composta por ZEUS - JUPtTER (ou Apolão) e MERCÚRIO, deram-lhes nomes bíblicos : Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo; três pessoas que compõem a Divindade Unica. Fazendo assim do cristianismo uma religião politeísta (mal disfarçada), do monoteísmo que ela era até ao famoso concílio.                                    Satanás serviu-se em seguida de pregadores teólogos, notórios nos meios evangélicos para embriagar todo mundo deste vinho (revelação) da prostituição e de imundícia. Se bem que, mesmo nalguns meios pentecostais onde as pessoas afirmam estar cheios de Espírito Santo, esta abominável doutrina criou raízes profundas. Inadmissível! Pensem só nisso... um homem cheio de Espírito Santo afirmar ou crer na existência de três Deus em Um. Absurdo, pois não? Um verdadeiro eleito não pode aceitar tal coisa. Porque? Por tal coisa não se encontrar nas Escrituras!                                                             No meio dos defensores dessa doutrina encontramos B. Graham que já foi citado aqui. No seu livro, ele reconhece que essa doutrina “tem um lado escuro e misterioso”. Contudo não se impediu de prosseguir nestes termos: “O problema maior com a trindade está no facto de que o cristianismo se diz monoteísta e rejeita o politeísmo, a crença em muitos deus. A fé na trindade, prova a unidade de Deus no mesmo tempo reconhece a existência de três personagens no seio; desta divíndade que é todavia duma só e mesma essência. Deus é um, mas esse Deus único não é simples, ele é complexo”.             Conseguem ver isso? E isso que se chama: FAZER COMPROMISSOS COM A PALAVRA DE DEUS. – um pouco aqui, um pouco ali (ls,28:13). Isto é fazer polémica! Isto é perversidade! E Deus aborrece tal coisa (Apoc.22:21).                    Prestai atenção: Deus não tivera anunciado que no tempo do fim (em que vivemos), os selos haviam de ser retirados e os mistérios de Deus revelados? (Dan.10:9,10). Isto digo eu pela Palavra de Deus: si o famoso “Mistério da Santa Trindade” não pode até agora nos desvendar seu “lado escuro e misterioso”, isto quer dizer que tal coisa NÃO FAZ PARTE DO CONSELHO DE DEUS. Sim! Neste último tempo tudo aquilo que permaneceu oculto nos séculos passados no que toca o conselho (plano) de Deus vem à luz pelo ministério do Espírito Santo que guia a lgreja do Cristo (em toda a verdade), e a conduz ao encontro do Esposo que, brevemente há-de-vir. Acreditem nesta Palavra, ou então, morrem no vosso pecado da idolatria!              Este famoso pregador que já mencionei, afirma que o Espírito Santo seria mesmo “Deus Espírito Santo” porque como Deus Pai, ele é Eterno (Heb.4:14); Todo-Poderoso (Lc.1:35); Omnipresente (Sal.1 39:7); Omnisciente (lCor.2:1O,1 1); designado pelo nome de Deus (Act.5:4), etc. Um outro desses doutores na pessoa de Mattew Henry comenta Gen.1:1 para demostrar que ELOHIM sendo um plural: “Isso impllca a pluralidade de pessoas no seio da divindade: o Pai; o Filho e o Espírito Santo. Esse nome de Deus no plural confirma nossa fé na doutrina da trindade, sugerida no Antíqo Testamento e daramente revelada no Novo”.                                                                           A razão destas afirmações, é o uso da primeira pessoa do plural em Gen.1 :26;3:22;1 1:6,7; ls.6:8 e também e sobretudo a ORDEM DE BAPTIZAR no nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo (Mat.28:19). Pois, segundo os trinitaristas, esta ordem mostra que as três pessoas são colocadas no mesmo pé de igualdade: “são todos Deus”.Essa ordem constitui, pois, o pilar de sustento dessa doutrina, e que é utilizada para explicar “biblicamente” (como única citação, pois) uma doutrina acerca da qual a própria Bíblia não diz nada. Não, queridos irmãos, quando se dizem “isso implica”... deixa-nos entender que estamos diante de uma dedução. É justamente isso que não convém fazer na Palavra de Deus: deduzir! Isso conduz à uma interpretação particular segundo a lógica que se apresentar a vosso espírito. E, Deus, não se enquadra em nenhuma lógica; humana sobretudo! Ele é somente o que Ele afirma ou diz dEle mesmo. Pelo que está escrito:                                                                         “Querendo ser doutores da lei; e não entendendo nem o que dizem nem o que     afirmam”(ITim.1:7).                                                                                    Podemos notar contudo e à propósito, uma coisa acertada dita aqui pelo irmão Billy Graham, autor deste livro sobre o Espírito Santo, quando disse: “É de suma importância afirmar o que a Biblia diz e calar-se onde a Bíblia guarda o silêncio”.                                                                                                   Não penseis que se os trinitaristas, nos seus ensinamentos, se tivessem limitado nessa ordem de ideia, o politeísmo que eles tentam nos fazer engolir,e que levou a igreja na idolatria, e consequentemente abriu a porta à todas as abominações que se cometem hoje no nosso meio, cairia por si? Pois desde tempos antigos, O próprio Deus revelou-Se ao Seu povo com palavras como estas:                                                                                                                      “..Para que soubesses que o Senhor é Deus, nenhum outro há senão Ele”.                                                                                                           “Pelo que hoje saberás, e reflectirás no teu coração, que só o Senhor é Deus em cima no céu, e em baixo na terra; nenhum outro há”: (Deut. 4:35,39).               “Vede agora que eu, Eu o sou, e mais nenhum Deus comigo”. (Deut.32:39).                                                                                “...Para que o saibais, e me creiais, e entendais que Eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá”(ls.43:10).                                                                                      “Eu sou o Senhor, e não há outro, fora de mim não há Deus...”: (Is. 45.5).           
Essas poucas citações tiradas do Antigo testamento desvenda a mentira desses obreiros fraudulentos que pensam e ensinam que a doutrina da trindade teria sido sugerida na antiga aliança, assim sendo, originou-se ali. Deus não sugira! Ele ANUNCIA Seus decretos. O Seu Conselho permanece firme, e Ele cumpra toda a Sua vontade.                                                                           Deus como o podemos notar nessas citações, vai pondo o acento sobre a existência de Um só Deus; insistindo junto do Seu povo sobre esta coisa, para que este SAIBA, REFLITA ou GUARDA NO SEU CORAÇÃO, CREIA e ENTENDA que não há nenhum “deus” ou “Deus” com Ele, antes ou depois e muito menos fora dEle, senão ELE MESMO. Não podia pois existir em algum recanto do céu, nem debaixo do céu (na terra pois), outro Deus senão ELE MESMO: O Senhor. Vasculhei em todas as traduções da Bíblia que me caíram nos braços; não achei contradição nenhuma. Se é verdade como o afirma os trinitaristas pelo intermédio desses pregadores que sujaram os meios evangélicos com seus falsos ensinamentos, que: “foi de comum acordo que as três pessoas da divindade criaram o mundo”, seria justo para as duas outras personagens divinas que, uma vez sua obra concluída, Um só se exaltasse IGNORANDO CATEGORICAMENTE seus co-criadores, como Ele o faz nessas passagens das escrituras que citamos aqui? Isto não é assim pois: EXISTE UM SÓ DEUS: ELOHIM, o Deus Criador cujo plural não se refere as Suas diversas personalidades, mas sim aos Seus inumeráveis atributos.                              Foi para acautelar Israel da idolatria e politeísmo das nações pagãs que os rodeavam, que Deus, muitas vezes e de muitas maneiras, dirigiu-se ao Seu povo com estas palavras que adundam todas no espírito do primeiro e maior mandamento da lei (Ex.20: 1-7): “Não terás outros deuses diante de mim “ Israel acautelou-se naquilo até hoje. E todo blasfemo do género era SENTENCIADO PELA MORTE.                                                                   Tal não foi o caso com a igreja das nações. Depois do poder político romano se ter aliada à sua igreja, esta passara à ser a religião de Estado. O passo seguinte foi a eliminação dos judeus messiânicos, detentor da verdade original. Pelo que depois, não custou nada aos obreiros fraudulentos e falsos apóstolos impor a sua mentira aos “chamados” dentre as nações pagãs. É evidente que essa doutrina havia de ser facilmente aceite pelos pagãos, por causa da sua PREDISPOSIÇÃO NATURAL NA IDOLATRIA e no POLITEISMO.            A coisa é de fácil entendimento tendo em conta que a dispensação do mistério de Deus para a igreja, quanto à vocação dos gentios se define numa só palavra: A GRAÇA; a que Deus concedeu à UM POVO QUE NÃO ERA POVO; UMA NAÇÃO SEM INTELIGÊNCIA. Eis o que representa a igreja das nações.             “Fui buscado dos que não perguntavam por mim; fui achado daqueles que me não buscavam. A um povo que não se chama do meu nome eu disse; EIS-ME AQUI” (Is.65:l).                                                                       “Portanto eu os provocarei a zelos com os que não são povo, COM NAÇÃO LOUCA os despertareI á ira “(Deut. 32.21).                                                                                                                                                        Assim à esta raça eleita, que é a Igreja, foi dada a herança das promessas reservados aos que SABEM, REFLITAM ou GUARDAM NO SEU CORAÇÃO, ENTENDEM e CRÊEM neste DEUS UNICO, Seu Salvador.                          De mesmo modo que Adão, enganado pelo Satanás perdeu a sua herança, à Israel também aconteceu o mesmo, quando os judeus rejeitaram seu Deus (hoje eles adoram um Deus que não conhecem); à seguir vem a IGREJA DAS NAÇÕES que foi privada da graça que lhe foi feita, tendo rejeitando por sua vez, o Deus único que o resgatou da escravidão do mundo e da opressão satânica. Ela preferiu, a adoração de três deuses numa mentira denominada “MISTÉRIO DA SANTA TRINDADE”. E tendo aceite o compromisso de Satanás à Nicela, esta igreja rejeitou a adoração do Deus verdadeiro e Unico e adorou no Seu lugar, o trio ZEUS-APOLÃO-MERCÚRIO, baptizado para a circunstância: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo.                                               Talvez estão achando que estou à exagerar um pouco: consideramos um momento os filhos de Israel no deserto... quando fizeram naufrágio na fé do Senhor, Seu Salvador. O que foi que aconteceu? FIZERAM PARA SI UM BEZERRO DE OURO AO QUAL DERAM O NOME DO SENHOR E O ADORARAM COMO TAL (Ex.32:4-6). E por detrás disso tudo? Satanás, Vedes agora como a coisa torna-se nítida ao espírito de todos que receberam o amor da verdade para se salvar?                                                                                                        Satanás sabendo perfeitamente bem que O Senhor é um Deus zeloso (ciumento) que não permitiria que Seu povo tivesse “outros deuses diante dEle”, apressou-se em levar a igreja das nações na desobediência do maior dos mandamentos de Deus. Exactamente como procedeu com a Eva no Éden. É de reconhecer que Satanás sabe o que faz! Bem- aventurados os que permanecerem firme no mandamento da Palavra de Deus!                                              Pelo que conheço um homem de Deus que, com razão afirmou: “A igreja das nações caiu em Niceia”. Tal como Israel no deserto... e Eva à Éden.                             Todavia, de mesmo modo que, quando Israel adorava seu bezerro de ouro, uma parte permanecia fiel à Deus e à Sua Palavra dada por Moisés, Seu profeta (os filhos de Levi – Ex. 32:26); assim existe hoje, um resto na igreja das nações que não se livrou na idolatria e permaneceu fiel à Seu Deus, Único. Estes são, OS ESCOLHIDOS ou OS VENCEDORES QUE NÃO RECEBERAM A MARCA DA BESTA.                                                                                    Considerai isto: se um membro da igreja pode aceitar e compreeder, de qualquer ponto de vista que seja, a trindade e confessar, nisso, a sua fé; todos estes que foram chamados segundo o Conselho de Deus nunca poderão receber essa doutrina. Sabeis porque? Porque Satanás não pode seduzir aquele que é nascido de Deus; que vela fiel e firme na Palavra. Esta mesma Palavra que manifestou o Conselho de eleição de Deus. E, se esta Palavra não pode ser aniquilada (Jo.10:35b), também todos aqueles à quem a Palavra de Deus foi dirigida, e que reconheceram, reflectiram e guardaram no seus corações; creram, entenderam e souberam que não há outro Deus senão Ele, não poderão JAMAIS ser aniquilados pelo Satanás. Por causa? Tendo sido regenerados pela semente incorruptível da Palavra de Deus, receberam o poder de serem feitos filhos do Altíssimo. (Jo.1:12;10:34).                                                       Tendo pois reconhecido a excelência desta graça sobre nós, não podemos nunca crer na existência de três “Deus” em Um só. Simplesmente porque a Palavra de Deus desde o Antigo Testamento até ao Novo, nada diz a respeito.                                                                                                     Pelo contrário, Jesus claramente confirmou a escritura em Mc.12:29,32:
“E Jesus respondeu-lhe: “O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel o Senhor nosso Deus é o único Senhor... E o escriba lhe disse: Muito bem, Mestre, E COM VERDADE – considerai pois que todo judeus conhecia a verdade à respeito! - disseste que há um só Deus, e que não há outro além dEle... Jesus vendo que havia respondido SABIAMENTE, disse-lhe: NÃO ESTÁS LONGE DO REINO DE DEUS”.                                                                                              Por isso tenho por certo e mui firme essa Palavra do Senhor que me foi dirigida como que: todos os que recebem essa doutrina da trindade são longe do reino de Deus, NÃO O VERÃO DE MODO NENHUM.                                         No entanto, é preciso uma revelação do Espírito de Deus para que a Igreja compreende a verdade desse Deus Unico. No que me diz respeito, foi preciso esperar quase dois anos depois da minha conversão para ver cair o véu que, sobre essa verdade, persistia ainda nos olhos do meu entendimento. E quando eu fuicapaz de suportar essa coisa (Jo.16:12,13), o Senhor me deu a inteligência de compreender a divindade. Conheci e cri no meu Deus; reconheci e compreendi este Deus Unico, Meu Salvador. Hoje, glorifico-O pela graça excelente que nos foi feita. Pois, ao conceder-nos este conhecimento, O Senhor nos abriu as portas do Seu reino; dando-nos a vitóriasobre a apostasia, eas portas do inferno perderam toda autoridade e poder sobre nós. Isto,graça à Palavra revelada, que é a espada do Espírito com a qual combatemos contra o maligno e seus intentos. Eis aqui a firmeza da salvação! A esperança da glória, para qual fomos feitos testemunhas neste último tempo. Segundo o que está escrito:
“E te darei os tesouros das escuridade, e as riquezas encobertas, para que possas saber que eu sou o Senhor, o Deus de Israel que te chama pelo teu nome (Is.45:3).
Bem-amados ao Senhor, suportai o que vos digo pela Palavra do Senhor: Não toqueis, aceiteis, nem acrediteis de qualquer ponto de vista que seja, na doutrina da trindade. Ela é impura, mesmo escondida na aparência da piedade ou santidade; ela é DIABÓLICA. E já fizestes naufrágio na fé, vos todos os que acreditaram nela. Eis o que ordeno pela Palavra de Deus: arrependei-vos enquanto é tempo!                                                                                              Bem pode ser que a tenhais aceite na forma do baptismo; isto é, fazendo-vos baptizar nos títulos do “Pai, Filho e Espírito Santo”. Este baptismo não vale nada. Fazei-vos baptizar no baptismo (e segundo o modelo) bíblico primitivo: Em nome do Senhor Jesus Cristo!                                                    “Pai”, “Filho”, “Espírito Santo”, não representam nomes e, não está escrito “nos nomes” como se de muitos se tratasse, mas sim “no nome”, como de um só.  “Pai”, “Filho”, “Espírito Santo” representam na verdade: três títulos de Um Deus Unico, revelado na Suas diversas dispensações. Deus revelado no céu como sendo o Pai de todos; sobre a terra, o mesmo Deus manifestado no Filho que é a expressa imagem da Sua pessoa; o resplendor da Sua glória. E, na igreja a divindade se revela pelo Espírito Santo habitando em nós.                    No corpo da Sua manifestação (Deus icarnado), Ele recebeu um nome único que determina Seu relacionamento com a raça humana que veio salvar do pecado. Este nome é: JESUS (Jeová – Salvador). E, está claramente escrito que NÃO HÁ SALVAÇÃO EN NENHUM OUTRO NOME. Pois Um Só Nome foi dado debaixo dos céus para a salvação dos homens: é o do SENHOR JESÚS CR1STO (At.4:12).                                                                                               O Pai éo único SENHOR que se revela aos homens pelo Seu Filho. JESUS é este Filho de Deus: a imagem do Pai, o Deus invisivel; e CRISTO, é o Espírito Santo no Seu templo humano; vivo: o Deus-ungido. Este é JESUS DE NAZARÉ, bendito eternamente. Se bem que nos dias da Sua carne, Ele diz, falando do CONSOLADOR, o Espirito Santo ou Espírito de verdade:                                             “O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o VÊ nem o conhece, mas vós (os discípulos) O conheceis, porque HABITA CONVOSO (Jesus, o Espírito Santo num corpo humano), e estará em vós.
Ora bem, prestai atenção nisso: O Senhor Jesus está anunciando aos Seus discípulos a vinda do Espírito Santo, contudo Ele afirma o seguinte:                             “Não vos deixarei órfãos; VOLTAREI PARA VÓS’: (Jo.14:17; 18)                            “Ele (o Espírito Santo) estará em vós”. “Eu (Jesus) voltarei para vós”. Devemos pois nos evidenciar sobre uma coisa: ou Jesus está contradizendo-se aqui, ou então, ELE ESTÁ AFIRMANDO SER – Ele mesmo – ESSE ESPIRITO SANTO, o Consolador, QUE HÁ DE VIR. Que aquele que pode entender entenda!                                                                                                   Eis a razão pela qual, tudo que se faz na Igreja, deve ser feito no Nome único do Senhor Jesus Cristo. E, (como no caso do baptismo apostólico) é neste Nome do Senhor Jesus Cristo que se cumpra toda a vontade do Pai. Este nome fala para o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Pois, Nele (Jesus Cristo) habita corporalmente TODA a plenitude da divindade: O Deus Único na condição do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Primeiro, para conceber (como Autor) o plano da salvação; segundo, para o realizar (como consumador). Pois só Ele é Salvador (Is.43:11), em Jesus Cristo (2Cor.5:19); e enfim para completar a Sua obra em cada crente pelo Espírito Santo; Sua presença agindo em nós; ainda chamado “Mente” ou “Espírito de Cristo” (1 Cor.2: 16; 1Pe.1:11).                                 Rejeitem, bem-amados, essa doutrina satânica da trindade. Eu, não procuro a glória dos homens; também não sei lisonjear. Procuro tão somente a glória daquele que me ungiu afim de dar testemunho dessas coisas. Por isso insisto: todos esses que defendem essa doutrina involuntariamente ou não testemunham contra Deus. E bem podeis desta maneira, discernir a mentira na boca dos obreiros fraudulentos e falsos profetas; escravos da corrupção desta doutrina enganadora que triunfou deles e, que por sua vez, são utilizados pelo maligno para reanimar as paixões politeístas, animistas ou idolatras dos costumes pagãos, que se encurvam diante de deuses que não o são por natureza. Tais pregadores são homens que vivem no erro e cuja condenação já foi escrita. Salvai-vos desta geração perversa!                                                          De mesmo modo que Balaão surgiu em Israel e levou pela sua doutrina, o povo eleito na idolatria e prostituição ; assim essa gente corrompe almas em mal de discernimento. “A TRINDADE E UMA FALSA DOUTRINA! UMA ABOMINAÇÃO”. É ASSIM DIZ O SENHOR! Se não falarmos assim, o povo nunca verá a alva. Aí de mim se não anunciar este evangelho que recebi do Senhor! Se não falarmos assim eles não terão pecado nenhum. Mas agora, se negarem o testemunho da Palavra da verdade, e de se conformar CATEGORICAMENTE no que está escrito, então, a sua condenação não dormitará e o julgamento virá infalivelmente. Pois eles desprezam à Deus, pela transgressão de TODA Sua lei, pecando contra o maior de todos os mandamentos (Tg.2:1O). E, por causa deles, o magnífico Nome do Senhor está sendo blasfemado no meio dos pagãos, segundo o que está escrito. Que tal doutor seja anátema!                      Se sois de Deus e ouvirdes essa voz, considerem que estou vos avisando da parte do Senhor! Orando, nunca utilizem esta formula: “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”. Fazei tudo em nome do Senhor Jesus Cristo!(Jo.14:13,14). E, se quiserdes ser baptizado para o reino dos céus, no corpo do Crísto, meditem At2:28e credes. Se tiverdes ainda convosco alguma literatura tocando esta doutrina: deitem no fogo! Como fizeram os efesios (At.19:19,20); porque ela não vale nada; senão a morte. Não recebeis de jeito nenhum alguém com esta doutrina. Rejeitai esta marca sobre vós: é a da besta. Então Cristo, a Palavra de Deus, crescerá em vós, em poder e em força.                                                                                               Quando alguém é baptizado em Nome do Senhor Jesus Cristo (segundo At.2:38), Este - Jesus - concede ao crente a salvação pela REMISSÃO DO PECADO. Ele cumpra esta salvação em Nome do Pai que concebeu e realizou o plano da redenção; Ele a cumpra pelo poder do Espírito Santo que Deus dá somente àquele que Lhe obedece. Noutras palavras, só Jesus Cristo pode dar-nos a salvação (At.4:12): pela fé em Seu Nome. E, Ele não o faz por conta própria; mas sim para a glória do Pai que O mandatou. Então o Espírito Santo é dado ao crente como SELO DA REDENÇÃO (Ef.4:30) para todo quanto crê nesse NOME UNICO. Qual será pois esse Nome? Não podereis achar na Bíblia um outro nome, senão o de JESUS CRISTO, como o explica a Escritura em Ef. 1:13:                                                                                                         “TENDO NELE CRIDO, FOSTES SELADOS COM O ESPÍRITO SANTO DA PROMESSA”.                                                                                              Pois, para nós há: “Um só Senhor, uma só fé, um só baptIsmo; Um Só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos (Eph. 4.5, 6).                                                                                                                Aqui está a explicação de Mat.28.20; a ordem de baptizar que serve de apoio a esses mentirosos para assentar a anátema doutrina da Trindade, baseada apenas sobre uma única “citação”, singularmente interpretada.                          Ora, o Senhor disse no Jo.6:63:                                                       Espírito é o que vivifica, a carne (inteligência, sabedoria humana) para nada aproveila AS PALAVRAS QUE EU VOS DISSE SÃO ESPIRITO E VIDA”.                                                                                                                         Tal é o caso com Suas palavras de Mat.28:20, elas produzem a morte em todos esses que as consideram com os olhos da carne e as interpretam carnalmente; mas vida para todos os que andam à luz da Palavra pela REVELAÇÃO DO ESPIRITO (Prov.29:18). Mas se até hoje, a verdade do baptismo permanecer ainda oculta, isto é somente para os que se percam. Esses cujo o príncipe deste mundo de trevas cegou a inteligência e os olhos do entendimento, de medo que entendam, vejam e que Cristo os curam.                        Tais são os que receberam a semente da Palavra original ao pé do caminho (Mat.13:19). Para eles, nosso Evangelho tem o cheiro da morte.           Anunciando essas coisas tal como o fizemos neste dia, estamos prontos à tudo padecer por parte dos defensores dessa doutrina, como o Senhor bem achou de nos revelá-lo previamente. Mas, por amor para Seus escolhidos, nossos irmãos da verdadeira vide, não podemos nos calar. Tudo sofremos por causa deles. Por isso, nada me pode impedir de vos repetir o mesmo som da trombeta: AFASTAI-VOS DE TUDO QUE TOCA A TRINDADE, pois é de proveniência maligna!                                                                           Convertei-vos na Palavra e firmai-vos Nela INEQUÍVOCAMENTE. Convertei-vos de todo vosso coração à Jesus Cristo. Pois Ele é: a Palavra viva da revelação do Deus Unico e Verdadeiro. O, Igreja do Senhor, Sua noiva: EIS AQUI O TEU DEUS! Jo.3:29:                                                                   “Aquele que tem a esposa é o Esposo; mas o amigo do Esposo, que lhe assiste e o ouve, alegra-se muito com a voz do Esposo. Assim pois já este meu gozo está cumprido”.                                                                                                                                                                                                Façohoje aplicação dessas palavras à mim e a Igreja, Sua noiva e Seu corpo, para a qual cumpro meu ministério neste último tempo; afim de prepará-la com vista ao ARREBATAMENTO para as bodas que já estão preparadas. Dou aqui testemunho da verdade.                                                                                 Bem-amados ao Senhor, saibai, guardai nos vossos corações, creiai e QUE Deus vos ajuda à enteder uma vez por toda que a TRINDADE não é o fundamento da fé cristã como a coisa está sendo erradamente ensinada pela sabedoria teológica hoje. Isto é um CREDO católico, emprestado na mitologia greco-romana; e que a grande prostituta – Babilónia – que está assentada sobre as águas, embebedou do vinho da sua prostituição (isto é, incentivou na prostituição espiritual), todas as organizações e denominações da cristandade, pelo mistério da iniquidade que opera ocultamente na Igreja do Crista (Apoc. 17:1 -5). E, tal como uma mãe transmite a semente da prostituição e imundícia à suas filhas, o catolicismo — organização-mãe — contaminou o protestantismo, se bem que no fim, mesmo o ramo pentecostal não consegui escapar desse abraço mortífero. Sim, apenas os que andam na REVELAÇÃO dessas coisas podem escapar da corrupção. Os outros andaram sem travões (Prov.29:18). E tais como cegos guiados por outros semelhantes à eles...                            A noite está avançada. O dia se aproxima! Nosso Senhor está à porta: DESPERTAI, DESPERTAI, ó ovelhas perdidas da casa do meu Pai! Perguntai qual é o bom caminho e firmai a vossa fé tão somente na PALAVRA, rejeitando todo CREDO e DOGMAS. Nós, não somos produto da cristandade organizada; mas sim da cristianismo revelado.                                                                  Bem-aventurados os entendidos!                                                                Querido irmão, não pense que os apóstolos enganaram-se sobre este ponto capital relacionado com a salvação da humanidade (pois o baptismo engaje o cumprimento do plano da salvação e da justiça de Deus no crente — Mat.3:15; Mc.16:16). Não receberam eles em Mat.28:19, a ordem de baptizar em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo? Todavia, todos eles baptizaram no Nome do Senhor Jesus Cristo. Por desobediência ao Mestre fizeram isto? De jeito nenhum! Pela REVELAÇÃO DAQUELE QUE ERA DESDE O PRINCIPIO. Aquele em que a divindade habita corporalmente em TODA sua plenitude, e que é O mesmo, ontem, hoje e eternamente, Por isso, nós da verdadeira igreja, fizemos como eles, baptizando neste único Nome para a glória do Pai que congregou em Cristo todas as coisas: as que estão no céu, tanto como as que estão na terra, afim de executar nEle e por Ele o Seu eterno propósito segundo a Sua benevolência. Disso testemunha todo o primeiro capítulo da epistola aos Efesios.                                                                                                                Como a verdade é tão simples, tão maravilhoso, tão perfeita! Mas para entender as coisas de Deus, é preciso receber dEle o Espírito da revelação e de Sabedoria no Seu conhecimento. O Espírito que Deus dá somente aos que Lhe obedecem. Isto quer dizer que, convém primeiro ser obediente à TODA a Palavra de Deus. Deitar fora nossas pequenas opiniões, concepções etc. sobre Um Grande e Insondável Deus. Isto é um mau tesouro! Como Ele mesmo o diz: “Ninguém deita remendo de pano novo em vestido velho, porque semelhante remendo rompe o vestido, e faz-se maior a rotura. Nem se deita vinho novo em odres velhos; aliás rompem-se os odres, e entorna-se o vinho, e os odres estragam-se; mas deita-se vinho novo em odres novos, e assim ambos se conservam (Mat. 9:16,17).                                                                                                                                                                               Que aquele que tem ouvidos para ouvir ouça! Não podeis receber a revelação da verdade enquanto vos conformeis ainda às vossas tradições religiosas. Esta luz de revelação em vez de vos ser útil, tornar-se-á pelo contrário numa rocha de escândalo para vós. A coisa fará de vós um incrédulo, pior que aquele que foi conhecido até lá. Ora, quando alguém nega esta Palavra, ele rejeita então o próprio Senhor. Todo aquele  que resiste contra a Verdade, cai no endurecimento. Ele acaba blasfemando contra o Espírito Santo, que é o Espírito da Verdade. E, Deus nunca perdoará tal coisa. Nern neste século, nem no século vindouro. Não vos conformeis no erro! Sejai regenerados pela boa palavra de Deus e transformai-vos em odres novos capazes de suportar o vinho novo da revelação do Conselho de Deus.                                              Ó, meu irmão – seja de que lado fores – oxalá que Deus te dá o Espírito de sabedoria e de revelação no Seu conhecimento. O problema não consiste em crer cegamente (sem discernimento) no que diz um homem, mas sim de O conhecer no mais profundo de nós mesmo. De fazer uma experiência individual com Ele. Convém que Ele cresce em nós; que Ele mesmo ilumina os olhos de nosso entendimento; que Ele nos dá a estatura perfeita à Sua medida, para que não possamos nos envergonharmos naquele dia. Nem viver na ilusão de ser o que não somos. Que Deus ajude cada um de nós. Isto é a minha oração para a igreja. Que O próprio Deus acabe Sua obra em cada um dos Seus filhos, Isso, nenhum homem nem pregador O pode fazer.                                                               Nós, nos limitamos apenas à dar testemunho da verdade afim de vos levar à crer NELE. Ma só Ele pode conduzir cada um de nós na glória. Só Ele é capaz de se sujeitar todas as coisas. Convém-nos absolutamente experimentarmos cada um por sua conta, um novo nascimento para podermos viver plenamente a salvação nos nossos corpos mortais e contemplar essas coisas espirituais que nos foram transmitidas por intermédio destes homens que, inspirados pelo Espírito Santo falaram da Sua parte, no seu verdadeiro sentido. Convém-nos absolutamente entrar no Espírito dos que falaram ou escreveram essas palavras que temos nas nossas Bíblias afim de podermos entender o que eles queriam dizer exactamente. As nossas interpretações para nada servem; senão para a ruína de nossas almas. Encurvamo-nos pois diante da Sua vontade. Encurvamo-nos diante da Sua Palavra. “Bem-aventurados os pobres de Espírito pois é deles o reino dos céus” (Mat.5:3,). Que Deus tenha compaixão e misericórdia de nós!

*********************************************