A VISÃO DOS MENSAGEIROS À TRAVES AS ERAS

Foi no ano 2000… numa dessas tardes vagarosas, onde sentes que tens algo à fazer, mas, não sabe o que... (só o homem espiritual pode entender isso). Uma semana antes, acabava de participar em encontros de ministros de Evangelho. O tema da conferência tornava em torno da doutrina da Igreja e o cumprimento do Conselho de Deus no nosso tempo. Claro que sobre alguns pontos as opiniões divergiam. Mas, o que me deixou algo perplexo foi sem dúvida, as interpretações particulares do “mistério das sete estrelas”, principalmente no que diz respeito o sétimo anjo.
Aquela tarde pois, sentia-me perdido na imensidão do mundo, sem saber o que fazer para saciar um desejo manifesto lá... bem no fundo de mim; quando um amigo íntimo me propus: «Vamos dar um passeio na ilha de Luanda, para relaxar...». Ele é ainda um descrente, entendes? Segui-lhe sem saber porque... e quando chegamos na praia numa daquela tarde de sábado, fiquei logo arrependido: «O que vim fazer eu aqui, no meio dessa depravação?». Estava lá hesitando entre o desejo de ficar e de ir-me embora de lá… quando decidi de, ao invés de ficar lá à contemplar essa multidão, me afastar e contemplar o mar. Mas, donde me encontrava, não era possível ver o mar sem escalar os blocos de betão que estavam lá diante de mim em forma de escada. Distraído, fui subindo uma após outra, os degraus diante de mim. Até chegar lá em cima, onde a minha posição me oferecia uma clara visão do mar até ao infinito. Foi daí que Ele me deu a visão e me dirigiu essas palavras:
“As idades das igrejas descem uma dentro da outra tal como uma escada. Paul, o primeiro mensageiro da Igreja das nações foi arrebatado para o terceiro céu e recebeu a visão global da dispensação ao ponto de ver o fim desde o princípio. Tal não é o caso dos anjos ou mensageiros das idades intermediárias que receberam e perceberam apenas o que Deus fazia nas suas eras respectivas, representada cada uma pelo um degrau da escada. Essa visão do Conselho de Deus era exacta apesar de restrita ou limitada. Pois, um homem que está de pé num degrau da escada tem uma ideia do todo o percurso feito até no ponto onde ele se encontra presentemente. Contudo, ele não pode ter a luz ou discernimento exacta do que se passa no degrau acima dele. Assim é, de um mensageiro numa era intermediária: a demonstração do Espírito Santo sobre ele se limitava no entendimento da obra consumado por Deus, assim como pelo espírito anti-cristo desde a época ou idade que o antecedia, até naquele tempo determinado, quando ele ministrava essas coisas. Foi por isso que Lutero se limitou somente na doutrina da justificação pela fé, Wesley na doutrina da santificação, deixando alguns pontos na sombra, etc.
Tal não é o caso, com o homem- mensageiro que se encontra aqui sobre o último degrau que ilustra a sétima era. Este tem uma visão global de toda a dispensação. Pois, tendo subido (pelo menos o Espírito que fala nele) todos os degraus, ele recebeu a compreensão de toda a obra de Deus em toda as eras anteriores à sua geração. Olhando pela frente, à partir do ponto onde ele se encontra e lá onde finda a sua visão, o mar parece se encontrar com o céu (o mar representa os povos). Ele profetiza sobre muitos povos com exactidão, e prediz a vinda de Jesus e o dia de glória. Mas, se pegares (o Espírito se dirige à mim) numa canoa e avançar até naquela horizonte, constatarás que não é exactamente aí onde o céu se encontra com o mar. O PONTO DE ENCONTRO SE ENCONTRA AINDA DESTA VEZ DIANTE DE TI! Ninguém sabe exactamente aonde. Assim como ninguém sabe quando é que o Senhor vem ao encontro da Sua Esposa. IMPORTA QUE PROFETIZAS ESTE DIA”.
         Desci daí à correr, jubilando. Ô que gozo, que graça, que paz, senti naquele momento. «Estás de repente muito animado, que se passa contigo?”, me perguntou o amigo que me levou naquela praia. «Não poderás entender isso de momento. Agora sei o que vim fazer aqui, podes me oferecer todo o que quiser…».
         Há um dogma que nasceu no meio desses bem-amados irmãos e irmãs que estudam o testemunho do homem de Deus, William Branham, que (faço aqui uso das suas próprias palavras): foi afastado da sua função de “ministro” e feito “o Messias- Ungido”, “o Filho do homem”, “um dos sete Espírito diante do trono”, “o Cristo”, etc.  por meio de interpretações particulares geradas pelo espírito anti-cristo, na inteligência desses homens carnais pouco entendedores da obra de Deus. Um dogma que começou nos dias em que este servo do Senhor fazia ainda parte deste mundo, e que se estabeleceu com autoridade e se firmou até hoje. Apesar dele próprio ter condenado e repreendido duramente este “espírito” na sua pregação (ler “a Serpente esmagada“ parágrafo 21 à 44).
Este dogma que já denunciei também na minha pregação: “A mensagem do último tempo e o espírito do erro”, como consta na brochura A OBRA DE DEUS NO ÚLTIMO TEMPO (pag. 35 à 58) se desenvolveu ao ponto que hoje, os “doutores” desses ajuntamentos ensinam e afirmam que Branham é o último mensageiro de Deus sobre a terra e o único intérprete da Bíblia. Eles se esqueceram de uma coisa: dando-lhe assim a autoridade do Espírito Santo, eles fazem dele um anti-cristo. Nada me poderá calar sobre esta MENTIRA no zelo que caracteriza o meu combate contra a apostasia da IGREJA do Cristo. Pois, esta é a vontade expressa dAquele que me enviou profetizar neste dia. Por isso digo hoje pela Palavra do Senhor: rejeitai esse dogma! – Assim como todo outro do género - Tal coisa é de proveniência maligna!
Nesta hora em que falamos, o mistério das sete estrelas está hoje consumado, mas a obra de Deus prossiga. O “anjo de Laodiceia” (a sétima estrela) é o “precursor” na sua geração duma determinada obra de Deus. Um precursor é aquele que começa alguma coisa e não aquele que a completa ou perfaz. E, esta obra na nossa era é: A PREPARAÇÃO DA NOIVA PARA A VINDA DO ESPOSO. De acordo com a promessa das escrituras, antes deste dia, o altar devia ser restaurado, para que o coração dos filhos de Deus regressa na doutrina dos pais que nos geraram em Cristo (Mal.4:6b). Não se restaura aquilo que nunca existiu, mas sim o que já foi feito. Assim Deus deu essa luz à um homem para falar de todas as coisa que os outros deixaram de lado, ATÉ NO SEU DIA. Hoje, ele está recolhido, e Jesus ainda está vivo no nosso meio PARA TODO O SEMPRE. É por Ele e dEle que falamos. Porque, está escrito: “O TESTEMUNHO DE JESUS É O ESPÍRITO DE TODA PROFECIA” (Apoc.19:10). Nunca nenhum profeta de Deus se levantou neste mundo para profetizar segundo o homem ou o espírito do homem algum que lhe antecedeu. Foi, inspirado pelo Espírito Santo – o Espírito de Cristo sobre eles – que esses homens falaram. E, Jesus é o mesmo, ONTEM, HOJE e ETERNAMENTE. Existindo, não a semelhança de um homem, fosse ele profeta ou coisa semelhante, mas sim como a PLENITUDE DAQUELE QUE CUMPRA TUDO EM TODOS. Aleluia! 
Se, és um bem-amado do Senhor, reconhece que eu recebi mandato do Senhor para falar destas coisas, saí do meio desse dogma e afasta-te desse espírito! É ASSIM DIZ O SENHOR: Toda carne corrompeu o seu caminho na terra! A Bíblia afirma que, todos esses que dizem: “Eu sou de fulano” são carnais e crianças em Cristo. No entanto, quero vos fazer lembrar que a promessa da gloria não é para esses meninos em discernimento que dizem “amem”, jubilam e andam ao som de dogmas; mas sim para os adultos. Aqueles que tem a experiência da palavra da justiça; sendo capaz de discernir o bem e o mal (Heb.5:14). Esses são os que triunfam da corrupção e atingem a ESTATURA PERFEITA de Cristo pela fé e o conhecimento do Filho de Deus.
Branham, homem de Deus deixou a seguinte advertência à seu auditório: “Se jamais acreditaram em mim, se jamais creram que eu sou um servo de Cristo, lembrai-vos disso, é um erro! É uma falsidade! Assim diz o Senhor! Isso está errado! Não vos associais nisso! Eu sou vosso irmão!” (Brochura: A Revelação de Jesus Cristo n.º14 – a Serpente esmagada; pag.4 à 6; par.25 à 44). Já o disse uma vez e ainda o repito hoje, eu creio que ele foi para este tempo do fim um verdadeiro servo de Senhor, mensageiro para Sua igreja. Essa é uma das razões que me leva à me afastar destes cultos que fazem desse irmão um anticristo. Apesar de uma certa aparência de sabedoria e piedade que envolve esses cultos. E, mesmo quando não afirmam em palavras que ele é o Cristo; o Messias-Ungido; pelo menos é assim que as suas obras testificam. Esse comportamento é prova de que: tal carne corrompeu também o seu caminho na terra. Mudando a verdade de Deus em mentira; adorando e servindo uma criatura no lugar do Criador; eles desviam as almas da sua vocação. Eles afastam a Esposa do seu verdadeiro dono. Pois, está escrito: ”todos os desejos da mulher será para o seu marido e, esse dominará sobre ela”; como também: “Onde estiver o vosso tesouro, ali estará o vosso coração”.
O tesouro da Esposa é o seu Esposo; seu Senhor, e ela não terá outro “deus” diante dele, nem se encurvarás perante nenhuma imagem, nem lhe dará culto. Pois, o Esposo é um Deus ciumento e zeloso que visitará um dia essa maldade. Pelo que O ESPÍRITO SOBRE NÓS PROFETIZA ESSE DIA DA SUA VINDA. Dia de gloria para a Esposa, mas também de VINGANÇA para essas sete “mulheres” infiéis e adúlteras – Is.4:1 - que, em cada uma das sete eras, comeram o seu próprio pão e se adornaram do seu próprio vestido. Isto quer dizer em palavras mais simples: se alimentaram da sua própria doutrina ou dogmas e estabeleceram por si mesmas, leis baseadas em dogmas, credos e outros ritos... pelas quais, cada uma delas procurava se justificar à si mesma diante de Deus. Tirando apenas glória do Nome de um Esposo, sem portanto ser esposas suas. Quem pode receber isso receba!