Zaqueu, o publicano, e o dia da visitação divina



“Tendo Jesus entrado em Jericó, ia atravessando a cidade. Havia ali um homem chamado Zaqueu, o qual era chefe de publicanos e era rico. Este procurava ver quem era Jesu…” (Lc.19: 1-3a)

“ Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto.” (Is. 55:6)

Não se trata de uma pessoa qualquer… Trata-se do aristocrata… o nobre Zaqueu.
Era um homem rico, e não um mendigo. Vedes isso? Ele era ainda, um chefe de publicanos. No entanto, os publicanos eram considerados pecadores… aqueles que usam e abusam do mundo e dos prazeres deste mundo. Em suma, um líder de "pecadores”. Entendeis isso?
No entanto, não são sinagogas e locais de culto que faziam falta em Jericó, naquela época. Nem sacerdotes, doutores da lei, ou levitas. Pois havia, na verdade, muitos "ministros" de Deus em Israel e no Judaísmo.
No entanto, esse dia foi um dia singular para Zaqueu! Foi para Jericó, a sua cidade: o dia da visitação divina.
            Não está escrito: "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar! Invocai-o enquanto está perto "? (Is.55: 6). Algo… uma inspiração certamente teria lembrado esta Palavra da promessa ao espírito de Zaqueu. Pois quê?
Jesus não morava em Jericó! Ele estava lá nesse dia de passagem; em busca das ovelhas perdidas da casa do Pai. Sim, Eles estava à procura de todos aqueles que Deus dantes conheceu e predestinou para serem conformes à imagem de Seu Unigénito Filho Jesus Cristo: os descendentes de Abraão. (Rom.8:28-32)
E, aqueles aí reconhecem o dia da visitação divina. Porque a palavra da promessa testemunha neles, de que são filhos da promessa (Gen.12: 3; 18: 18, 22: 17,18). O oráculo (segredo) de Deus não está selado entre os Seus discípulos? (Is.8: 16)
Quantos neste dia, à semelhança de Zaqueu em sua época, sabem discernir os sinais do tempo, e reconhecer o dia do cumprimento das promessas proféticas anunciando a salvação? Este é o dia da visitação divina!
Podemos entender essa coisa no chamamento de Moisés no dia em que Deus lhe apareceu do meio da sarça-ardente, foi-lhe dito: " (Eu) desci para o (Meu povo) livrar da mão dos egípcios." (Ex.3: 8)
"Eu", é Deus quem visitou o Egito para libertar Seu povo, e não Moisés. O homem de Deus foi apenas o véu por trás do qual se escondia Deus para realizar Sua obra no mundo físico. Aqui está o porquê Faraó pereceu: ele acreditava estar lidando com Moisés; ele estava longe de suspeitar que ele se opôs e lutou contra o próprio Deus. Não nos esquecemos que era o dia da salvação para Israel. E só Deus realiza a salvação. Tal como Ele próprio o afirmou no Is.46: 11: "Sim, eu o disse, e eu o cumprirei; formei esse propósito, e também o executarei. "
Eis por que falamos do dia da visitação divina. E Zaqueu, o publicano, foi capaz de reconhecer aquele dia, na sua época e andou à luz da face do Senhor: Deus, manifestado pelo testemunho do pregador do dia.
            Também é importante notar aqui que a atitude de Zaqueu confirma a revelação do Senhor, que disse: "… desde os dias de João, o Batista, até agora, o reino dos céus é tomado a força, e os violentos o tomam de assalto. "
Neste violento combate da fé que opõem o "Assim diz o Senhor" aos dogmas das igrejas e religiões dos homens, a atitude de Zaqueu demonstra claramente o comportamento de um homem que provavelmente não está procurando uma religião… uma igreja ou sinagoga para se afiliar como adepto, membro de pleno direito, ou algo parecido. Pelo contrário, a postura inequívoca de um homem em busca de salvação. Deste plano divino para a salvação que está em Jesus Cristo, Só. Não desses "planos de salvação" que nos oferecem as religiões.
Quantos neste dia entenderam como Zaqueu, o publicano, naquele dia?

 

______________________________________